UM SEGUNDO GATO EM CASA | Advance

UM SEGUNDO GATO EM CASA

Já tem um gato. Adora-o, ama-o. Mas, pensa em ter um segundo gato, chegou o momento de ter outro. A ideia parece-lhe bem e, além disso, não será traumático se tomar algumas medidas antes de trazer o novo membro.

Um ou dois O espaço ALIMENTAÇÃO CHEGOU O DIA

UM GATO O DOIS GATOS

A primeira coisa a fazer é avaliar se o gato que já vive consigo se irá adaptar à presença de um novo companheiro. A maioria dos gatos bem socializados, adapta-se. No entanto, um gato que tenha sido separado da mãe e dos irmãos antes de completar um mês de vida dificilmente se adaptará e, nesse caso, não é recomendável trazer um segundo gato.
Além disso, tenha em conta que se já tem um gato macho não esterilizado, não é boa ideia ter um segundo gato exatamente nas mesmas condições, uma vez que a rivalidade entre machos na espécie felina é muito grande e têm sérias dificuldades para partilhar território. Se forem duas fêmeas, ou macho e fêmea, a probabilidade de se relacionarem é maior, e se ambos estiverem esterilizados será ainda mais fácil.
Por último, se um deles for um gatinho (entre 1,5 a 2,5 meses), tudo fluirá melhor ainda.

Pondere se o espaço físico de que dispõe em casa será suficiente para dois animais.

O ESPAÇO É VITAL

Pondere se o espaço físico de que dispõe em casa será suficiente para dois gatos. Se viver num apartamento muito pequeno, pode aumentar bastante o espaço vital dos gatos instalando prateleiras nas paredes ou plataformas elevadas do chão, às quais os gatos possam aceder para se deitarem, descansarem ou isolarem-se quando quiserem calma.

ÁGUA E ALIMENTO PARA DOIS

Deverá ter sempre disponível um recipiente com água e outro com alimento para cada um dos gatos. Relativamente à caixa de areia, o ideal seria ter também uma caixa de areia para cada um deles e uma caixa adicional. Isto não significa que não partilhem sem problemas todos os recursos ao seu alcance (tigelas e caixas), mas precisam de saber que todos têm direito às mesmas coisas.

CHEGOU O DIA

No primeiro dia do seu novo gato em casa, é melhor que não se encontre nem toque o gato que já tinha antes. Para tal, deverá atribuir ao novo gato uma divisão com uma porta fechada, de modo a que ambos possam apenas cheirar-se e escutar-se mutuamente. A partir do segundo dia, deixe que se conheçam e que comecem a relacionar-se, com paciência e dedicação Saberá que se entenderam quando os vir a brincar juntos ao gato e ao rato, a assearem-se um ao outro e, sobretudo, quando estiverem a dormir ou a descansar enrolados.

Artigos que lhe
podem interessar