A alimentação do cachorro atleta


A alimentação do cachorro atleta

Necessidades especiais

A atividade física intensa de um cachorro pode variar desde os sprints, como no caso dos galgos que participam de corridas curtas, até o trabalho intenso de puxar um trenó na neve durante um período prolongado, passando pelos diferentes níveis de atividade dos cães de trabalho, como os que procuram explosivos ou os cães pastores que podem ser submetidos a períodos prolongados de atividade de intensidade moderada a alta durante vários dias ou semanas.  Todos esses tipos de cachorros são atletas e, como acontece com as pessoas que praticam esportes, têm necessidades especiais.

 

Alimentação e exercício

Os cachorros possuem uma resistência incrível e, se estiverem hidratados e com a temperatura corporal adequada, podem continuar correndo durante mais tempo do que quase todas as espécies animais, uma característica que ajudou seus antepassados a caçar diferentes tipos de presas que não possuíam essa resistência. Quando os huskies competem em uma corrida no inverno, um animal de 30 kg pode chegar a consumir 10 mil calorias por dia, o que, proporcionalmente, é muito mais do que comeria um atleta humano. O organismo do cachorro foi desenvolvido de modo que as gorduras e proteínas sejam usadas de forma eficaz e proporcionem a energia necessária, diferentemente dos seres humanos que precisam de uma "carga de carboidratos" antes de fazer exercício.


Para os cachorros que precisam de muita energia, é preciso seguir algumas regras especiais:

 

  1. Alimentar o animal com porções pequenas e frequentes. Caso contrário, o aparelho digestivo não processará o alimento corretamente.

  2. Alimentar o cachorro com produtos que são digeridos com muita facilidade para fornecer a energia necessária de forma eficiente.

  3. Usar níveis baixos de fibra para um volume menor, mas o suficiente para favorecer um bom processo digestivo.

  4. Incluir um grande nível de gorduras animais de boa qualidade. Dessa forma, a mesma quantidade de proteínas ou carboidratos fornece mais do que o dobro da energia.

  5. Usar proteínas de origem animal de boa qualidade para fornecer os aminoácidos essenciais que mantenham e desenvolvam os músculos e reparem os tecidos.

  6. Os carboidratos são uma ótima fonte de energia rápida, principalmente se o arroz ou os cereais tiverem uma trituração fina e forem preparados de maneira adequada para que os amidos digeridos estejam disponíveis facilmente e sejam absorvido pelo intestino sem problemas.

  7. As vitaminas e os oligoelementos são necessários, mas se o cachorro estiver comendo bastante, os níveis normais são suficientes.


Além do mais, é importante levar em consideração outros aspectos da atividade física intensa dos cachorros:

 

  1. Regulação da temperatura: os cachorros ofegam para regular a temperatura, mesmo que esse sistema não seja tão eficiente quanto o suor nos seres humanos.  Em condições de calor, se o animal estiver sofrendo um calor excessivo, ele não poderá continuar fazendo um exercício intenso.  Por esse motivo, as provas de resistência mais longas são realizadas no frio e na neve do inverno.

  2. Água: ao regular a temperatura, o cachorro perde água ofegando e sem a água necessária, ele não pode continuar fazendo exercício.


Quando o cachorro atleta não estiver trabalhando, talvez seja preciso substituir os alimentos muito calóricos recomendados para uma dieta normal. Posteriormente, a alimentação de trabalho deve ser reintroduzida progressivamente durante o período anterior à corrida ou ao trabalho físico.

 

Alimentos

Existem alimentos desenvolvidos especificamente para alimentar os cachorros de trabalho. Essa é a forma mais simples e eficaz de aplicar os conhecimentos científicos para conseguir uma ótima alimentação para esse tipo de animal.