Alimentação felina: como o meu gato come!


Alimentação felina: como o meu gato come!

O gato sempre foi considerado como um animal muito exigente com a alimentação. Dizem que ele não come qualquer coisa e tem receio de provar alimentos novos. Existe um pouco de verdade nessa afirmações, mas para explicá-las, é preciso voltar às origens. 

 

Carne, só carne

 

Os ancestrais do gato eram carnívoros e passavam boa parte do tempo caçando. O gato doméstico está adaptado a esse tipo de dieta: as mandíbulas, o aparelho digestivo e o comportamento do animal são perfeitos para caçar. Por isso, sua principal fonte de alimento continua sendo a carne. Hoje em dia, os fabricantes de alimentos levam isso em consideração nos produtos que fazem. A fonte principal de proteína é de origem animal, seja na forma de carne (novilho, frango) ou de peixe (salmão, atum). 

 

Cheiro de peixe… 

 

O amor do gato pelo cheiro do peixe é muito conhecido. O olfato do gato é muito mais sensível do que o das pessoas e isso é a primeira coisa levada em consideração ao ver um alimento. Se o cheiro for bom, um gato pode provar um alimento sem graça. Aqui é onde entra em jogo o sentido do paladar. Os dois sentidos combinam-se para permitir que o gato aprecie o alimento na sua totalidade. No que diz respeito ao sabor, os gatos são um pouco sensíveis ao doce e rejeitam o ácido e o amargo, mas amam o sabor salgado.

 

Bastante água

 

A água é fundamental para manter a saúde e o bem-estar do gato. Eles precisam de água fresca e limpa, independentemente do tipo de dieta. E é preciso trocá-la todos os dias É melhor usar recipientes de cerâmica, vidro ou aço inoxidável, já que os de plástico podem dar um sabor ruim para a água, fazendo com que o gato rejeite a bebida. 

 

Mesmo que nas épocas mais quentes os gatos costumem beber mais água do que o normal, é importante que o proprietário conheça a quantidade de água que ele ingere todos os dias, já que o aumento ou a diminuição do consumo pode ser um sinal de que alguma coisa não está bem no organismo do animal.

 

Comer é divertido

 

Se os gatos domésticos vivessem na natureza, eles dedicariam mais de seis horas do tempo para a caça, entre procurar, encontrar, capturar e consumir a presa. Em casa, eles só precisam chegar até o recipiente da comida e tudo está resolvido. Por isso é imprescindível proporcionar estímulos para que eles não percam o interesse pelo alimento. Confira algumas ideias: 

 

• Esconda bolinhas de comida em pequenas caixas de papelão com a tampa ligeiramente aberta, para que eles tenham que se esforçar um pouco para conseguir a comida. 

•Junte duas embalagens de iogurte, faça furos do tamanho de uma moeda e coloque comida seca. Passe uma corda pela invenção e pendure-a dentro de uma distância que o animal consiga alcançar. É preciso estimulá-lo para que ele bata com as patas e consiga assim a deliciosa comida. 

 

Essas são apenas algumas ideias. Tenho certeza que se pensarmos um pouco mais, nós podemos encontrar mil maneiras de passar um tempo divertido com o nosso gato e melhorar sua qualidade de vida ao mesmo tempo.

 

Por que o meu gato não come? 

 

• O estresse é um péssimo companheiro da alimentação. Uma mudança, uma hospitalização ou a perda de um membro da família pode fazer com que o gato perca o apetite. 

• Os felinos também rejeitam os alimentos que não têm determinadas vitaminas e minerais, como a tiamina. Por isso, é importante garantir que a dieta tenha os nutrientes necessários para satisfazer todas as necessidades deles. 

• A idade, o estado de saúde e a atividade sexual também afetam o apetite do animal. Um gato mais velho, por exemplo, tem menos capacidade de apreciar o sabor dos alimentos. 

•Não adianta colocar o recipiente com comida em qualquer lugar da casa. Os gatos são muito sensíveis tanto à luz quanto ao barulho, por isso, é preciso que ele coma em um ambiente calmo e relaxado.

• Convém não colocar o recipiente de água perto do da comida para que o gato precise se mover para encontrar a bebida, como faria em condições naturais. É importante também que cada gato tenha mais de um recipiente de água extremamente limpo.