Atchim! Tenho alergia ao meu gato


Atchim! Tenho alergia ao meu gato

Você adora acariciar seu gato, mas todas as vezes que faz isso começa a espirrar? Calma, isso não acontece só com você. Na verdade, 15% da população é alérgica aos animais de estimação. Deixamos aqui algumas dicas para que você possa conviver com seu gato com o mínimo desconforto possível.

É muito comum ter alergia a gatos. Portanto, na Affinity, a nossa primeira recomendação é saber se você é alérgico antes de ter um animal de estimação porque, muitas vezes, isso pode levar ao abandono do animal. A porcentagem de pessoas com alergias aos animais de estimação, especialmente gatos, é de cerca de 15% da população.

A alergia nos seres humanos é uma reação do organismo contra uma substância que ele não consegue tolerar. As pessoas alérgicas têm um sistema imunológico hipersensível quando expostas a proteínas supostamente inofensivas encontradas em substâncias produzidas pelo animal, como a saliva, a urina ou a caspa dos pets. Essas proteínas são chamadas de alérgenos e é preciso verificar se elas afetam o proprietário antes de levar um gato para casa.

A alergia a gatos pode manifestar-se de muitas formas. Começando com reações cutâneas localizadas, rinoconjuntivite típica ou asma. As reações cutâneas variam da urticária por contato a uma erupção no rosto, pescoço e tronco. Essas consequências, muitas vezes associadas a sintomas óbvios, podem afetar o sistema respiratório. Embora a alergia deva ser diagnosticada por um alergista, é provável que os primeiros sintomas apareçam por meio do contato com um gato. No entanto, um especialista deverá diagnosticar a alergia.

Se você convive com um gato e já sofreu algum destes sintomas, leia com atenção as linhas a seguir. Porque, na Affinity, não queremos que você deixe de acariciar seu gato. Nunca! Queremos, sim, dar algumas dicas para aliviar os sintomas da alergia. Mas, lembre-se, abandonar o animal de estimação não é a solução.

Em primeiro lugar, sugerimos que você escove seu gato com muita regularidade. Em casa, dispense objetos como tapetes e móveis estofados porque os alérgenos costumam se acumular nesses materiais. Evite que seu gato entre no quarto. Também é importante lavar regularmente a cama e os utensílios do gato, além de dar banho no animal todas as semanas. Além disso, ficou comprovado que a esterilização dos machos ajuda a reduzir a proteína que causa a maioria das alergias a gatos.

Por último, saiba que atualmente existem alguns tratamentos médicos e vacinas para reduzir os problemas de saúde de pessoas alérgicas. No caso de sermos alérgicos ao nosso gato, o especialista recomendará o tratamento de hipossensibilidade mais adequado para nossa situação.