Cachorros sabem a diferença entre azul e amarelo?


Cachorros sabem a diferença entre azul e amarelo?

Atualmente, temos muita informação sobre como nossos pets e outras espécies animais percebem o mundo. Mas quem pode garantir que estamos certos?

As mesmas técnicas de aprendizagem utilizadas para educar um cachorro podem ser utilizadas para monitorar como ele percebe a realidade e suas capacidades sensoriais. Se um cachorro aprende a sentar-se ao ouvir a palavra “senta” e a deitar-se ao ouvir a palavra “deita”, isso significa que ele possui capacidades acústicas que lhe permitem distinguir os dois sons. Se duas palavras muito parecidas forem escolhidas para sinalizar os exercícios de obediência, por exemplo, “chão” e “não” respectivamente, é possível que o cachorro se engane. Quanto mais parecidos forem os comandos, mais difícil será para o animal fazer a distinção entre eles.

Associar comportamentos diferentes a sinais distintos é um exercício de diferenciação que pode ser feito com qualquer tipo de estímulo sensorial, do visual ao olfativo, do tátil ao acústico, para que você possa explorar todos os aspectos da percepção sensorial dos animais.

A informação resultante dos exercícios de diferenciação é complementada por estudos sobre a estrutura e o funcionamento dos órgãos sensoriais. Por exemplo, testes baseados em evidências sugerem que os cachorros percebem a diferença entre o amarelo e o azul, e estudos anatômicos identificaram na retina dos cães dois conjuntos de receptores, cada um especializado em detectar a luz de uma determinada cor.

Ainda há muito a investigar, mas todos estes estudos nos oferecem um panorama cada vez mais completo das capacidades sensoriais dos animais. Este conhecimento é essencial para compreender melhor sua resposta a fatores externos e para escolher, no treinamento, comandos de comportamento que os animais possam facilmente detectar e reconhecer.