Filhote, adulto ou idoso?


Filhote, adulto ou idoso?

A grande maioria dos filhotes, com suas formas arredondadas e movimentos inseguros, são irresistíveis para muitas pessoas, mas será  a melhor escolha para todos? Como a idade de adoção do cachorro influi na relação com o dono? Além disso, é verdade que um cachorro mais velho não consegue criar vínculos afetivos com seus novos proprietários? Este artigo ajudará você a refletir sobre a adoção de cachorros de diversas idades.

Um filhote, muitas vezes, significa dedicação e paciência porque precisa aprender tudo: fazer suas necessidades na rua, brincar de forma correta, familiarizar-se com uma série de pessoas e situações, diferenciar seus brinquedos dos objetos de decoração da casa e, geralmente, controlar sua energia. Portanto, ele não é a primeira opção para quem não pode dedicar muito tempo para a sua educação. Além disso, um filhote ainda não desenvolveu as características definitivas e não é possível prever com precisão o tamanho nem o temperamento que ele terá na fase adulta. Por outro lado, ele pode se adaptar com mais facilidade ao ambiente doméstico específico onde viverá e é uma boa opção para lares que já tenham outros pets. Além disso, por não ter tido outros proprietários, você pode ensinar-lhe comportamentos claros desde o início, sem correr o risco de entrar em conflito com aprendizagens anteriores. Para adotar um filhote de cachorro, a idade ideal é de 7 a 8 semanas de vida, já que para garantir o desenvolvimento correto é aconselhável evitar a separação muito precoce da mãe e dos irmãos.

No caso dos cachorros adultos e idosos, não há surpresas quanto ao tamanho, às características físicas e ao temperamento: já sabemos se o animal tem tendência a latir, se tolera a presença de crianças,  se é amigável com outros cachorros etc. Além disso, um cachorro adulto já sabe fazer suas necessidades na rua e geralmente não têm a tendência típica dos filhotes de explorar o ambiente com a boca, um comportamento que costuma levá-lo a destruir coisas pela casa. Essas características fazem desses cachorros uma boa opção para proprietário com pouca experiência na criação de filhotes. Quanto ao nível de energia, um cachorro adulto jovem pode ser muito ativo e adaptar-se bem aos proprietário que desejam realizar exercícios físicos com ele, enquanto um animal mais velho costuma ser menos ativo e adaptar-se melhor a outro tipo de proprietários. Além disso, o fato de terem vivido anteriormente com outras pessoas não afeta a possibilidade de cachorros adultos e idosos criarem um forte ligação com seus novos proprietários.

No entanto, em alguns casos, adotar um cachorro adulto ou mais velho poderá exigir cuidados especiais: é o caso de animais que foram abandonados devido a problemas comportamentais e que podem precisar de uma integração mais delicada ao novo lar. Além disso, os cachorros idosos geralmente têm uma expectativa de vida menor e, muitas vezes, precisam de mais cuidados veterinários e de maiores despesas em comparação com animais mais jovens.

Nenhum cachorro é perfeito e cada decisão tem seus prós e contras. No entanto, seja um filhote, um cachorro adulto ou um animal mais velho, ele pode ser um grande companheiro de vida com o qual você compartilhará momentos de amor e diversão.