Macho ou fêmea?


Macho ou fêmea?

Depois de decidir se deve adotar um cachorro de raça ou um mestiço, você ainda terá que decidir o sexo do futuro pet. É melhor ter um macho ou uma fêmea? A resposta, como sempre, é: ¡depende!

Machos e fêmeas diferem tanto na estrutura física, como na fisiológica e comportamental. Para começar, muitas vezes, os machos são maiores que as fêmeas. E, apesar dessa diferença quase não ser percebida em algumas raças, como é o caso do west terrier, em outras implica uma diferença de muitos quilos, como no caso dos molossos.

Do ponto de vista fisiológico, a maior diferença entre machos e fêmeas é o ciclo sexual. As fêmeas não esterilizadas, geralmente ficam sexualmente receptivas a cada seis meses, por isso, nesses períodos é necessário um acompanhamento de perto para evitar ninhadas indesejadas. Além disso, quando o cio começa, a cadela pode ter perdas de sangue por vários dias e dois meses após o cio pode ter sintomas de pseudogestação, ou seja, comportar-se como se estivesse perto do momento do parto ou acabado de dar à luz: ela fica nervosa, procura lugares isolados, adota e protege objetos inanimados como se fossem filhotes, pode ficar com o abdômen distendido e as mamas inchadas e pode chegar a produzir leite. No entanto, com a esterilização o ciclo sexual e a possibilidade de pseudogestação desaparecem.

Em relação ao comportamento, percebem-se diferenças relacionadas ao sexo, sobretudo nos comportamentos que tecnicamente se chamam “sexualmente dismórficos”. Portanto, é mais frequente que os machos façam marcações com urina, levantem a pata para urinar, fujam para procurar uma fêmea no cio, façam movimentos de monta e demonstrem agressividade com cachorros do mesmo sexo ou outros tipos de agressividade ofensiva. Embora a esterilização possa ajudar a controlar alguns desses comportamentos, as diferenças entre os sexos também permanecem após a esterilização, já que a remoção dos testículos ou dos ovários não modifica a estrutura do cérebro. Próximo ao nascimento, o cérebro de cada filhote desenvolve-se para o sexo masculino ou feminino, portanto, é possível ver as diferenças entre machos e fêmeas mesmo sem hormônios sexuais.

Ao escolher o sexo do futuro animal de estimação, também temos que levar em conta a presença de outro cachorro na casa. Se o cachorro for um macho é preferível optar por uma fêmea, já que isso poderá significar um nível mais baixo de competitividade entre os animais no início. No entanto, não devemos esquecer que cada cão possui características individuais e seu próprio temperamento, resultado da genética e das experiências de vida, o que é muito mais importante do que o sexo! Portanto, não importa o sexo escolhido, ao adotar um novo pet, não se esqueça da importância da educação que você dará a ele.