O antes e o depois da castração de seu gato


O antes e o depois da castração de seu gato

Castrar ou não castrar o gato doméstico? Esse é um dilema para muitos proprietários. É uma decisão que deve ser tomada com o veterinário e que pode alterar alguns comportamentos do animal.

Com a castração, são eliminados os testículos, onde é produzida a maior parte da testosterona presente no corpo. Esse hormônio controla o comportamento sexual e outros comportamentos relacionados, como a marcação com urina, a agressividade dos machos e os passeios em busca de fêmeas no cio.

Com a castração, o comportamento sexual geralmente desaparece. No entanto, alguns gatos podem continuar a tentar o cruzamento ou manterem o interesse por fêmeas durante meses ou, até mesmo, durante toda a sua vida.

Em 80 a 90% dos casos, a castração também elimina ou reduz a frequência dos comportamentos ligados à reprodução. A redução destes comportamentos traz muitas consequências positivas, tanto para o gato como para seu proprietário. Para gatos com acesso ao exterior, a diminuição dos passeios reduz o risco de atropelamentos. A diminuição na tendência de se envolver em brigas com outros machos reduz o risco de ser mordido e arranhado, que podem ser meios de transmissão de algumas doenças muito graves como a imunodeficiência e a leucemia felina. A diminuição da marcação com urina traz vantagens principalmente para os proprietários de gatos que não têm acesso ao exterior. Além disso, a castração não elimina totalmente a marcação. Isso ocorre porque, além dos hormônios sexuais, ela é controlada pelo nível de estresse do animal. O que muda significativamente entre a marcação de um gato castrado e a de um não castrado é o odor da urina. Nos primeiros, ele é muito menos intenso devido à baixa concentração de felinina, uma substância que confere à urina o típico cheiro forte, abundante na urina de gatos não castrados.

Todas essas mudanças no comportamento do gato ocorrem logo após a castração ou, em alguns casos, várias semanas depois. Nem o ambiente nem a experiência anterior parecem ter um efeito significativo sobre essas mudanças, muito menos a idade em que o procedimento é realizado: castrar antes da puberdade (os gatos machos atingem este período por volta dos 6 ou 7 meses de vida) tem a mesma eficácia do que castrar após a puberdade.

No entanto, não se deve pensar que a castração resolve todos os problemas comportamentais do gato. Apesar de este procedimento provocar alterações em alguns aspectos do comportamento do gato, ele não modifica sua personalidade. Se a castração tem como objetivo resolver ou prevenir problemas de comportamento, é importante conhecer seus efeitos e ter expectativas realistas sobre as melhorias que podem ser alcançadas.