Por que os gatos esfregam-se nas pernas de seus proprietário?


Por que os gatos esfregam-se nas pernas de seus proprietário?

Quase todos os proprietários de gatos já passaram por isso. Ao chegar em casa, o gato recebe seu proprietário com um ritual de saudação no qual ele primeiro se esfrega nos tornozelos com a cabeça, depois com a parte lateral do corpo e, por último, com a cauda, envolvendo a perna da pessoa como se fosse um abraço. Nesse ponto, o gato costuma olhar para cima em direção ao proprietário e voltar a se esfregar ronronando e, muitas vezes, dá pequenos saltos com as patas dianteiras. É ótimo ser recebido dessa maneira e a maior parte dos proprietários aproveita essa ocasião para acariciar o animal.

As pessoas costumam ver esse comportamento como um gesto de afeto do animal quando, na verdade, trata-se de uma marcação olfativa. Durante o ritual, ocorre uma importante troca de cheiros que serve para criar um cheiro comum e familiar entre todos os indivíduos que compartilham o território. Esfregando-se, o gato deposita a secreção das glândulas sebáceas que ele tem na zona temporal (entre o olho e a orelha), em torno da boca e na base da cauda. Essas glândulas produzem substâncias chamadas feromônios de familiarização que transformam os objetos marcados em objetos familiares.

Na verdade, o gato não se esfrega apenas nas pessoas e nos animais que convivem com ele. Ele também se esfrega nos objetos que compõem seu ambiente. Quando a marca olfativa desaparece, o gato volta a se esfregar. Os feromônios de familiarização reduzem outros tipos de marcação como, por exemplo, a marcação com urina, e, nos últimos anos, foi iniciada a comercialização de análogos sintéticos desses feromônios com o intuito de controlar as demais formas de marcação dos gatos.

Esfregar-se não é uma demonstração de afeto no sentido humano do termo, mas continua sendo algo que o gato faz apenas nas pessoas ou animais que fazem parte de seu mundo e que dão a ele uma sensação de segurança.