Um gato no cio


Um gato no cio

O cio é considerado o período do ciclo sexual em que a gata pode aceitar o macho. Ele estará sempre pronto para acasalar, mas também apresenta seu período de cio. Como acontece com todas as fêmeas mamíferas, as gatas têm seu primeiro cio quando atingem a puberdade. A partir deste momento, a fêmea já é fértil. No caso das gatas, o mais comum é que o primeiro cio apareça a partir dos 8 ou 10 meses de vida, mas isso pode variar de acordo com o animal.

Há fatores distintos que determinam o início da puberdade dos felinos. O peso da fêmea, por exemplo, deve satisfazer um valor mínimo para que ela possa entrar no cio. A raça, por outro lado, também condiciona o início do cio: as fêmeas de pelo curto, como as da raça siamesa, costumam atingir a puberdade antes das fêmeas de pelo comprido, como as da raça persa. Outros fatores externos, como a presença de machos em seu ambiente ou as horas de luz natural, também condicionam o início do cio.

Como os gatos são animais solitários por natureza, eles têm que se encontrar para acasalar e procriar. Portanto, tanto o macho quanto a fêmea devem mostrar sinais claros e evidentes de sua predisposição para o encontro sexual, que sejam detectados a distância por animais do sexo oposto. É por isso que os sintomas do cio são claros e evidentes. Tanto o macho quanto a fêmea apresentam uma mudança nas atitudes diárias que afetam seu comportamento. Ambos dão miados fortes e persistentes. A gata mia muito, roça seu corpo por todo lado, esfrega-se e fica rígida quando alguém a toca, adquirindo uma posição semelhante à da cópula. Essa condição recebe o nome de lordose: costas arqueadas para baixo e a cauda desviada para o lado. Além disso, elas ficam especialmente carinhosas e tentam atrair nossa atenção de qualquer maneira.

O cio não é igual para as fêmeas e para os machos. No caso da fêmea, como acontece com a troca de pelo, o cio ocorre com maior intensidade na primavera, quando há mais horas de luz natural. Uma gata pode chegar a ter vários cios com um intervalo de 2 a 3 semanas. Mesmo que vivam dentro de casa, com aquecimento e luzes artificiais, elas podem ter cios inclusive no inverno.

O ciclo estral da gata é dividido em quatro fases. O proestro dura apenas 1 ou 2 dias e observa-se uma mudança de comportamento nessa fase. A gata procura carinho, urina com frequência, realiza vocalizações, esfrega a cabeça e o pescoço por todo lado, gira sobre si mesma e arqueia a coluna levantando a pélvis. O apetite da gata aumenta sensivelmente. Neste período, ela não permitirá a monta pelo macho. O estro é a fase seguinte, no qual todos os pontos anteriores acentuam-se. Este é o período de receptividade sexual. É considerado o próprio cio. Sua duração é de 4 a 6 dias se houver acasalamento e de 10 a 14 dias se não houver cópula. Durante o estro, o miada da gata, usado para atrair um possível macho, será agudo e estridente. O destro é a fase posterior ao estro e, por ser a fase seguinte à ovulação, é uma fase de inatividade sexual que dura de 3 a 16 dias se não houver gestação e 2 meses se a gata tiver sido fecundada e estiver grávida. A última fase do cio da gata é o anestro, uma fase de repouso em que os ovários descansam e não produzem hormônios.

Os machos vivem seu cio particular. Quando atingem a maturidade plena, eles são capazes de acasalar sempre que a gata permitir. O ponto culminante para eles é de setembro a março. Durante o período de cio, os machos ficam mais briguentos, de forma que, se saírem para passear, é provável que voltem para casa com arranhões. O macho marcará o território com pequenas quantidades de urina carregadas de feromônios para atrair sexualmente a fêmea. Esta atitude é chamada de marcação sexual e é feita com borrifos em móveis, paredes e todos os tipos de superfícies verticais – o cheiro pode ser desagradável e difícil de remover. Além disso, ele se esfregará constantemente pela casa.

Não há dúvidas de que o cio é um momento difícil para os gatos e também para as pessoas que compartilham suas vidas com eles. Para evitar o cio, você pode se informar com o veterinário de seu gato sobre a possibilidade de esterilizá-lo. Enquanto isso, a paciência será a melhor defesa para não perder a cabeça com a atitude do animal.