A alimentação durante a gestação das gatas


A alimentação durante a gestação das gatas.

Ao contrário do que acontece com as cadelas, a gestação das gatas caracteriza-se pelo aumento de peso desde o início da gravidez. Durante os dois primeiros terços do período de gestação, a gata acumula reservas de gordura que serão utilizadas no final da gravidez e durante a lactação para alimentar as crias. A partir da sexta semana, o peso que a gata ganha é direcionado essencialmente para o crescimento dos gatinhos.

Por esse motivo, a gata tem de receber uma grande quantidade de matérias gordas na alimentação para acumular energia e aumentar a taxa de sobrevivência das crias durante o parto. Normalmente, ao longo da gestação, o consumo de alimentos da gata aumenta regularmente cerca de 10% por semana, até chegar a comer cerca de 70% mais face à sua dieta normal.

Após o parto, a gata ainda pesará cerca de 20% mais do que pesava antes da gestação. A gata utilizará este peso a mais para satisfazer as necessidades energéticas durante a lactação. Deve deixar à disposição da mãe uma ração rica em matérias gordas, bem como muita água limpa e fresca. A ração para gatinhos em crescimento é uma boa opção para alimentar uma gata gestante, devido à sua contribuição em calorias e cálcio, entre outros.

O desmame acontece entre a sexta e a sétima semana após o parto. Até esse momento, a gata não conseguirá recuperar o peso que tinha antes da gestação. Se observarmos um emagrecimento excessivo, podemos continuar a administrar-lhe uma ração rica em matérias gordas até que recupere o peso normal.

Em momentos tão delicados como a gestação, o parto ou a lactação, é indispensável que dê à sua gata todo o alimento de que o seu corpo precisa, para que tanto ela como as suas crias estejam de perfeita saúde.