Cachorro, adulto ou sénior?


Cachorro, adulto ou sénior?

A maioria dos cachorros, com as suas formas arredondadas e o seu andar inseguro, tem um aspeto irresistível para muitas pessoas, mas ¿será  essa a melhor opção para todos? ¿Como é que a idade da adoção do cão influencia a relação com o seu dono? E ¿será verdade que um cão mais velho não cria laços afetivos com os novos donos? Este artigo ajuda a refletir sobre a adoção de cães com diferentes idades.

Um cachorro, frequentemente, significa dedicação e paciência, pois precisa de aprender tudo: fazer as necessidades na rua, brincar corretamente, familiarizar-se com diversas pessoas e situações, diferenciar os seus brinquedos dos objetos de decoração da casa e controlar a sua energia em geral. Portanto, um cachorro não é a primeira opção para pessoas que não podem dedicar muito tempo à sua educação. Além disso, um cachorro ainda não desenvolveu características definitivas e não se pode prever com precisão o tamanho ou temperamento que vai ter em adulto. Por outro lado, um cachorro consegue adaptar-se mais facilmente ao ambiente doméstico específico onde irá morar e é uma boa opção para casas onde já vivem outros animais de estimação. Além disso, como nunca teve donos, pode ensinar-lhe regras claras desde o início, sem correr o risco de entrar em conflito com aprendizagens anteriores. A idade ideal para adotar um cachorro é 7 a 8 semanas, embora, para garantir o seu correto desenvolvimento, seja aconselhável evitar a separação prematura da mãe e irmãos.

Em relação a cães adultos e seniores, o seu tamanho, características físicas e temperamento não apresentam surpresas: já sabemos se o cão tem tendência para ladrar, se gosta de crianças,  se é brincalhão com outros cães, etc. Além disso, um cão adulto já sabe, à partida, fazer as suas necessidades na rua e não costuma ter a tendência, típica dos cachorros, de explorar o meio com a boca, uma tendência que geralmente termina com alguma coisa partida em casa. Estas características tornam estes cães numa boa opção para donos com pouca experiência em criar cachorros. Relativamente ao nível de energia, um cão adulto jovem ainda pode ser muito ativo e adaptar-se bem a donos que queiram fazer exercício físico com o cão, enquanto um cão mais velho costuma ser menos ativo e adapta-se melhor a outro tipo de dono. Além disso, o facto de terem vivido anteriormente com outras pessoas não impossibilita a criação de fortes laços afetivos entre os cães adultos e seniores e os novos donos.

No entanto, em alguns casos, adotar um adulto ou sénior pode exigir cuidados especiais: é o caso dos cães que foram abandonados devido a problemas comportamentais, cuja adaptação à nova casa poderá ser mais delicada. Além disso, os cães seniores geralmente têm uma menor esperança de vida e, muitas vezes, precisam de mais cuidados veterinários e de um maior investimento económico do que os cães mais jovens.

Nenhum cão é perfeito e cada decisão tem os seus prós e contras. No entanto, quer seja cachorro, adulto ou sénior, um cão pode tornar-se num grande companheiro para a vida, com o qual pode partilhar momentos de carinho e de diversão.