Como cumprimentar um cão desconhecido


Como cumprimentar um cão desconhecido

¿O cão não é o melhor amigo do homem? ¿Então, por que motivo os cães não gostam que, por vezes, os cumprimentemos na rua? Excetuando o caso dos cães que têm problemas específicos com as pessoas, a forma como nos aproximamos e cumprimentamos é fundamental para determinar a resposta e aceitação por parte do cão.

Quando encontramos uma pessoa conhecida na rua, costumamos aproximar-nos diretamente, olhando para a cara, sorrindo, estendendo a mão e, muitas vezes, acabamos o ritual de cumprimento com abraços e beijos na cara. Contudo, quase todo este ritual é demasiado invasivo ao aproximar-se de um cão. ¿Então, qual é a maneira correta de se aproximar de um cão?

A aproximação deve ser feita a um ritmo descontraído, sem pressa, dando tempo ao cão de ver que se está a aproximar para que assimile a situação. Deve evitar a aproximação frontal, direta à cabeça do cão, e por trás, que não dá a possibilidade ao animal de ver quem se está a aproximar. O ideal é aproximar-se lateralmente, olhando de lado para o cão e evitando olhar direta e fixamente nos olhos do animal. A aproximação tem de terminar antes de entrar no espaço pessoal do cão. Cada indivíduo, seja pessoa ou cão, tem um espaço onde apenas aceita a presença de alguns indivíduos conhecidos. Se o animal se sentir desconfortável com a proximidade de um indivíduo, tentará afastar-se até que a pessoa fique fora do seu espaço pessoal. Também não se deve inclinar por cima dele, algo que as pessoas fazem regularmente devido ao tamanho reduzido dos cães.

Deixar que o cão o cheire antes de passar ao contacto físico é uma boa prática, mas estender a mão ao focinho do cão para que este a cheire é, novamente, uma invasão do seu espaço pessoal. Desta forma, é preferível parar a uma certa distância do cão e esperar que seja ele a decidir se quer aproximar-se e, se sim, a que ritmo fazê-lo. Aproveite este momento para perguntar ao dono se pode dar festas ao cão, certificando-se, assim, de que o animal aceita a sua aproximação. Se o cão parecer assustado ou nervoso, o melhor será não tentar tocar-lhe, mas se este se aproximar descontraidamente e procurar ativamente o contacto, esse é o momento em que pode desfrutar de uma boa sessão de carinhos, sempre evitando toques que o incomodem. Muitos cães não gostam de receber abraços, beijos na cara ou carinhos bruscos. Todos estes aspetos são muito mais importantes se o cão estiver preso e mais ainda se estiver preso fora de uma loja sem o dono.

Cumprimentar e abraçar um cão é uma experiência muito agradável para muitas pessoas, mas há que tentar perceber se o cão também sente o mesmo. O contacto físico com uma pessoa desconhecida não é agradável para todos os cães, pelo que é necessário saber ler os sinais do animal e respeitá-los.