Diálogo entre um gato e uma pomba


Diálogo entre um gato e uma pomba

Entusiasmo

A pomba aterra no parapeito da janela e o gato tranquilamente deitado do outro lado do vidro fica tenso. Olha fixamente, ao mesmo tempo que o movimento nervoso da cauda revela o seu entusiasmo. Sem a perder de vista nem por um instante, o gato começa a produzir um som. É um som parecido ao gorjeio dos pássaros, uma sequência de pequenos gritos emitidos ao mesmo tempo que o gato bate os dentes. Em alguns casos, o gato permanece quieto, enquanto noutros começa a aproximar-se lentamente da pomba mantendo o corpo junto ao chão. O resultado é uma estranha situação em que o gato parece querer caçar a pomba, mas, ao mesmo tempo, está a avisá-la de que há um predador à espreita. Parece uma contradição. Então, o que leva o gato a produzir este som?

 

Vocalização

Os gatos costumam emitir este som, parecido com o cacarejar ou bater os dentes, quando localizam uma presa, mas com a presença de uma barreira (por exemplo, uma janela) que os impede de caçá-la. Isto faz com que o gato fique entusiasmado e frustrado ao mesmo tempo e comece a fazer um movimento com a mandíbula parecido com o que faria se tivesse a pomba entre os dentes. Quando um gato captura uma presa, morde com precisão no pescoço, provocando uma morte imediata. A vocalização do gato para a pomba pode ser uma versão exagerada da mordidela letal causada pela frustração de não ter conseguido capturar a presa.

 

Teorias

Os especialistas consideram esta vocalização um exemplo de atividade em vazio, ou seja, uma atividade que aparece na ausência do estímulo que normalmente a desencadeia, que neste caso seria a pomba entre os dentes. No entanto, existe outra teoria fascinante sobre o significado que esta vocalização poderá ter: esta segunda teoria surgiu durante um estudo realizado na selva do Amazonas sobre um grupo de macacos saguis. Os investigadores observaram uma espécie de felídeos selvagens, os gatos maracajá, a imitar algumas vocalizações dos macacos e a conseguir que os macacos se aproximassem ao ponto de os conseguirem caçar! A imitação dos sons das presas foi observada também em pumas e jaguares… Daí a suspeita, ainda não confirmada, de que possivelmente um gato que “fala” com uma pomba estará, na verdade, a tentar imitar os sons da sua potencial presa para que esta se aproxime o suficiente para poder caçá-la.

 

Instintos

Quer seja por frustração ou por imitação das vocalizações das suas presas, os “diálogos” do gato com uma pomba revelam que até o mais calmo e mimoso dos gatos domésticos possui o instinto de caçador. Assim sendo, o facto de uma simples pomba aterrar na janela é capaz de despertar os seus instintos em apenas um segundo.