Gatos silvestres e gatos selvagens


Gatos silvestres e gatos selvagens

Os gatos como animais de estimação evoluíram dos gatos selvagens que foram domesticados há 10 000 anos. No entanto, alguns gatos domésticos voltaram a viver em estado selvagem e a estes deu-se o nome de gatos silvestres. Felizmente, em Espanha e noutros países europeus, ainda existem gatos selvagens, mas o seu número tem vindo a ser ameaçado pelo cruzamento com os gatos silvestres.

Em alguns lugares, como a Nova Zelândia e a Austrália, a caça dos gatos selvagens teve um efeito negativo. São zonas onde os animais locais nunca tiveram de competir com um caçador com as habilidades de um gato. Nas Ilhas Canárias, também existe uma grande população de gatos silvestres. Todavia, alguns estudos sobre a sua alimentação sugerem que comem muito mais animais introduzidos, como ratos e coelhos, do que espécies nativas como o esquilo terrestre ou o ouriço-cacheiro. Portanto, o seu efeito nas espécies nativas não parece ser tão grave como na Austrália ou Nova Zelândia.

Os gatos selvagens, por sua vez, ainda se encontram em grande parte do mundo, mas raramente são avistados porque são extremamente cautelosos com os humanos. As várias populações em todo o mundo incluem o gato selvagem europeu e o gato selvagem africano.

Os gatos domésticos ainda podem ser cruzados com gatos selvagens e originar uma descendência fértil, o que representa atualmente um grande perigo para algumas espécies de gatos selvagens na Escócia e Hungria, por exemplo. A maior população de gatos selvagens existente encontra-se em Espanha e Portugal. Contudo, nestes países, os gatos selvagens geneticamente puros também estão a ser ameaçados pelo cruzamento com gatos silvestres.