Tempo de leitura: 2 minutos

Cada vez existem mais famílias jovens que convivem com um animal de estimação. A transmissão de valores de pais para filhos é fundamental para o seu contínuo desenvolvimento pessoal e, nesse sentido, ter um animal de estimação pode ser um grande aliado.

A Fundação Affinity realizou recentemente estudos relacionados com esse vínculo especial que se forma entre as crianças e os seus animais de estimação e algumas das conclusões são reveladoras. Mais de 500 crianças, dos 9 aos 13 anos, foram questionadas sobre a sua relação com os animais de estimação, relativamente a sentimentos, responsabilidade e respeito.

E algumas das suas respostas foram deveras interessantes.

 

  • 94% dos inquiridos sentem-se melhor com um animal de estimação por perto.
  • 50% dos inquiridos consideram o animal de estimação o seu melhor amigo.
  • O cão é o animal de estimação preferido de 54% das crianças.
  • 90% pensa que os animais de estimação fazem companhia e dão alegria.
  • Cerca de 60% considera que ter um animal de estimação ajuda a ser mais respeitador para com os demais.

 

Por outro lado, não pensam apenas em quão bom é ter um animal de estimação ao seu lado, mas também se preocupam se ele é feliz. O mais curioso é que relacionam diretamente o facto de serem saudáveis com um dos principais motivos da sua felicidade.

Além disso, quando são questionados sobre as possíveis preocupações dos seus animais, a maioria responde que o abandono poderá ser a maior das razões da sua tristeza.

Neste vídeo estão reunidos estes e outros dados deste estudo interessante:

 

Os dados extraídos do estudo mostram a profunda intimidade que uma criança tem com o seu animal de estimação. Essa bonita relação pode ser extremamente importante para a sua educação. Valores tão importantes como a empatia, o saber partilhar, o respeito para com os outros, a responsabilidade que pressupõe cuidar de alguém, a amizade…estão muito presentes na relação diária de uma criança com o seu animal de companhia. Assim, os pais têm no seu animal de estimação um forte aliado no difícil trabalho de educar os seus filhos.

 

Cães e Bebés

Até agora falámos dos benefícios resultantes da integração de um animal de estimação numa família com filhos pequenos…mas e se fosse ao contrário? E se o último a juntar-se à família fosse o bebé e não o animal de estimação?

É evidente que a chegada do bebé traz muitas mudanças e de repente as prioridades são outras. No entanto, é conveniente que o animal de estimação não se sinta deslocado ou esquecido. Para isso é necessário manter certos hábitos de comportamento: brincar com ele, tentar que associe momentos positivos à presença do bebé, etc.

O momento mais importante da relação do bebé com o animal surge depois dos primeiros meses. Por essa altura inicia-se uma interação real, e assim, o animal de estimação terá de se habituar às “pequenas” carícias que lhe serão feitas: puxões do pelo, da cauda, das orelhas, etc.

Para nos assegurarmos de que o nosso animal de estimação terá uma boa reação, é conveniente acostumá-lo a essa interação com a criança de forma progressiva. Somos nós que, pouco a pouco, devemos preparar o animal e posteriormente premiar a sua docilidade.

Em todo o caso, e para concluir, é sabido que a relação entre crianças e animais de estimação só contribui com aspetos positivos. O estudo aparenta clarificar que uma criança que cresce junto do seu animal de estimação adquire um conjunto de valores que serão fundamentais ao longo da vida.

 

New Call-to-action