Tempo de leitura: 3 minutos

Os indicadores de gestão de uma clínica veterinária dizem-lhe se esta funciona ou não, do ponto de vista económico, e são fundamentais para avaliar o valor do negócio em caso de compra, venda ou transferência.

Enviado pela Vets Affinity na terça-feira, 29 de dezembro de 2016 – 08:00.

inShare13

Avaliar os indicadores de gestão é uma ação essencial antes de concluir uma operação de compra-venda de um negócio. Comprar uma clínica veterinária ou assumir o seu trespasse pode constituir uma boa forma de se iniciar na profissão como empreendedor e gerente do seu próprio negócio. Para os veterinários que já ponderam sobre a reforma, vender ou transferir o seu negócio para se retirar e começar a desfrutar do seu merecido descanso profissional também constitui uma boa oportunidade.

 

New Call-to-action

 

Se vamos levar a cabo uma operação deste tipo, será necessário conhecermos claramente e com detalhe as contas do negócio, tanto no caso de compra como de venda: quem adquira o negócio deverá analisar detalhadamente os principais indicadores de gestão da clínica que agora passará a ser sua; quem vende, deverá efetuar uma revisão desses mesmos indicadores e atualizá-los, corrigindo qualquer desvio que possa pôr em risco a rentabilidade da sua clínicae torná-la menos “comercializável”.

 

O principal indicador de gestão de um negócio é o LAAJI

Se nos debruçarmos sobre conceitos, o importante numa empresa que muda de mãos através de uma compra ou transferência é o tempo que a pessoa que a adquiriu irá necessitar para recuperar o seu investimento. É isto que determina o valor de uma empresa. Muito poucos negócios se baseiam nas suas situações financeiras ou nos seus ativos fixos.

Se nos centrarmos em valores absolutos, ao falarmos dos indicadores de gestão de um negócio o que determina o seu valor de mercado será o EBITDA (Earnings Before Interest, Tax, Depreciation and Amortization), que em português se traduz por LAAJI (Lucro antes de amortizações, juros e impostos). O preço de venda do negócio, propriamente dito, costuma variar entre 1 e 6 vezes o valor do LAAJI em 80% dos casos, e depende de vários fatores, desde a localização do negócio até à experiência da equipa de trabalho.

No caso das clínicas veterinárias com uma rentabilidade geralmente muito reduzida (8-11% em média, mas com pelo menos um terço dos negócios com 5% ou menos), a avaliação proveniente somente do LAAJI seria muito baixa. Por esta razão, quando o preço de venda ou transferência de uma clínica é fixado, também é tido em conta o valor do local e dos equipamentos e instrumentos veterinários que inclui, que é denominado valor de liquidação.

Mas avaliar o valor de um negócio não é tão simples como calcular o LAAJI, multiplicá-lo por seis e somar-lhe o valor de liquidação. É igualmente necessário ter em conta muitos outros fatores: existem dezenas de métodos homologados para avaliar uma empresa, e os resultados que advêm da utilização de cada um deles no mesmo negócio podem ser muito diferentes. Na verdade, quando se efetua a avaliação de um negócio com vista à sua venda ou transferência o assessor que desempenha essa tarefa está, em grande parte, a emitir a sua opinião profissional. Por essa razão, é deveras importante, tanto para o proprietário como para o comprador, poder contar com um assessor que possua experiência e capacidades comprovadas.

 

Ideias para melhorar os indicadores de gestão e maximizar o valor de uma clínica veterinária

O que necessita fazer alguém que pondera vender ou passar a sua clínica a médio prazo? Sobre que aspectos deverá debruçar-se o comprador?

  1. LAAJI. Tal como já referimos, determina o valor real do negócio. Corresponde ao cash-flow gerado pela clínica antes das despesas financeiras e dos impostos.
  2. Toda a informação existente sobre o estado do negócio e as suas características deverá ser o mais clara possível: a incerteza causa receio aos investidores.
  3. As contas da empresa deverão estar perfeitamente organizadas e em conformidade com a lei.
  4. Deverá ser elaborado um protocolo relativo à atividade da clínica veterinária, por forma a que quem a adquira possa saber com detalhe como se desenvolve cada processo.
  5. As receitas da clínica deverão ter origem, na sua maioria, na prestação de serviços de qualidade: exames de diagnóstico, cirurgias, consultas de especialidade… Serviços que destaquem a sua clínica da concorrência, serviços que “nem todos possam prestar”.
  6. A reputação no mercado é um fator-chave, e hoje em dia é fácil avaliá-lo graças às redes sociais.
  7. Comece a tratar de tudo o mais rápido possível, mas não pretenda fazer tudo ao mesmo tempo: fixe fases de atuação e objetivos realistas que possam ser cumpridos.

E, caso já seja proprietário de uma clínica veterinária e não pretenda vendê-la nem transferi-la, também lhe seria conveniente considerar estes sete pontos, porque o vão ajudar a ganhar mais dinheiro a partir do momento em que os monitorize e os ponha em prática. Por isso, mãos à obra!

 

Baseado em conteúdo original de:
PERE MERCADER, DVM MBA
@pmercadervms

Seleção de links
Grupo Asís

 

Artigos relacionados:

 

New Call-to-action