Tempo de leitura: 3 minutos

 

Se procurar “cursos veterinária” no Google, irá encontrar mais de 21 000 resultados. Mas quantos deles se referem à formação em gestão? Se, por outro lado, completar a sua procura como “cursos veterinária + gestão”, o leque será reduzido para mais de 130 resultados…muito poucos!

Estes resultados são um claro reflexo da realidade em termos de formação disponível para os veterinários de animais de companhia: “cursos veterinária“, tem um vasto leque de possibilidades se pretender informações sobre questões relacionadas com a clínica, mas torna-se muito difícil encontrar formação de qualidade em relação a todos os aspetos da gestão da clínica veterinária.

 

New Call-to-action

 

É necessária formação em gestão!

Muitas das clínicas veterinárias são empresas de pequena ou média dimensão, que não têm possibilidades de contratar gestores profissionais altamente qualificados. No entanto, a gestão destas empresas não é tarefa fácil:

 

A lista é interminável e, por vezes, avassaladora.

Para complicar ainda mais a situação, se é proprietário de uma clínica ou planeia sê-lo brevemente, o mais provável é que não tenha recebido formação em gestão durante os seus estudos na faculdade. Além disso, a sua vocação não é gerir uma empresa, mas sim exercer medicina veterinária. Ou seja, muitos veterinários abraçam a gestão por obrigação, mais do que por convicção.

Quando passamos de colaboradores veterinários para proprietários de uma clínica veterinária, sucedem-se mudanças transcendentes que, por vezes, temos relutância em aceitar: enquanto que o colaborador veterinário foca o seu trabalho na satisfação das necessidades dos pacientes e dos seus donos, as obrigações do proprietário de uma empresa veterinária são muito mais abrangentes.

O empresário tem responsabilidades éticas, legais e profissionais para com os restantes sócios ou acionistas (se existirem), os fornecedores comerciais, os seus colaboradores e o Estado.

Em muitas das grandes empresas a propriedade do negócio está separada da sua gestão. Sendo proprietário de uma clínica veterinária não é obrigado a ser também o seu gerente, mas é da sua competência assegurar-se de que alguém gere a sua empresa. Ou seja, se é proprietário de uma clínica veterinária terá de efetuar tarefas de gestão ou contratar um gerente profissional; se se trata de uma clínica de grande dimensão, com vários sócios e uma estrutura forte, poderá equacionar a hipótese de contratar esse profissional, caso contrário terá de encarregar-se você mesmo da tarefa e, para isso, adquirir formação.

 

Cursos de veterinária: sou veterinário em comparação com dirijo uma clínica veterinária

Quais as diferenças fundamentais entre ser veterinário e diretor de uma clínica veterinária?

Enquanto que a eficiência de um veterinário pode ser determinada pelo trabalho que desenvolve, a eficiência do diretor da clínica veterinária é determinada pelo trabalho que faz desenvolver. Um bom diretor ou gestor deverá planear, organizar, liderar e supervisionar a utilização dos recursos humanos e dos equipamentos da sua clínica veterinária para que os seus objetivos possam ser alcançados.

Isto pressupõe que deverá dedicar o seu tempo e comprometer-se a liderar o seu pessoal. Segundo Caroline Jevring explica no seu livro Managing a Veterinary Practice (2nd edition)o gestor de uma clínica veterinária deverá dividir o seu tempo da seguinte forma, aproximadamente:

 

Curso de veterinária

 

Se é proprietário da clínica veterinária e não se sente suficientemente capaz ou motivado para dedicar uma boa parte do seu tempo à orientação do pessoal, terá de delegar esta responsabilidade num gestor profissional.

No artigo seguinte de “Gestão de uma clínica veterinária”, inserido neste blogue, iremos proporcionar-lhe algumas noções acerca de como iniciar a tarefa de ser um bom diretor da sua clínica veterinária.

 

Texto original:
PERE MERCADER, DVM MBA
@pmercadervms

Seleção de links
Grupo Asís

 

Artigos relacionados:

 

New Call-to-action