Tempo de leitura: 2 minutos

 

A lipidose hepática felina é uma patologia do fígado provocada pelo desajuste metabólico que ocorre nos gatos obesos submetidos ao stress. A melhor forma de preveni-la é controlando a alimentação dos gatos.

 

New Call-to-action

 

O que é a lipidose hepática felina?

lipidose hepática felina consiste no depósito excessivo de lípidos no interior dos hepatócitos. Esta situação acarreta uma lesão celular e disfunção hepática. Apresenta-se sobretudo em gatos obesos, que caem na anorexia continuada devido ao stress.

No entanto, a lipidose hepática felina também se pode verificar como consequência de causas secundárias: défice de carnitina, desnutrição grave ou endocrinopatias como o hiperadrenocorticismo ou a diabetes mellitus.

 

Porque se desenvolve a lipidose hepática felina?

Nos gatos, embora se desconheça a patogenia exata da lipidose hepática felina, geralmente costuma dever-se a um destes três fatores:

  • Obesidade
  • Anorexia
  • Stress

 

Possível papel da carnitina na génese da lipidose hepática felina

Levanta-se a hipótese do papel da carnitina no desenvolvimento da lipidose hepática felina, indispensável para a oxidação dos triglicéridos e como o seu possível défice pode impossibilitar o uso dos depósitos de gordura hepáticos. A obesidade provoca uma acumulação de lípidos nos hepatócitos, enquanto que o stress desloca as vias catabólicas para a utilização de depósitos proteicos, preservando as reservas de triglicéridos hepáticas.

Alguns fármacos , como as tetraciclinas, estão contraindicados em animais com lipidose hepática felina.

Acontece o seguinte: o gato que é submetido ao stress entra num estado de anorexia, pelo que a ingestão de proteínas e hidratos de carbono é limitada. Para combater a falta de energia, os depósitos de gordura são mobilizados e os lípidos são deslocados para o fígado, onde ficam armazenados.

Além disso, o défice de proteínas provoca a diminuição da união dos ácidos gordos com as apoproteínas, pelo que não poderão ser mobilizados fora do fígado e a gordura é acumulada aí.

 

Manifestações clínicas da lipidose hepática felina

Os sintomas típicos da lipidose hepática felina são a anorexia, perda de peso e hepatomegalia. Analiticamente destaca-se um aumento da bilirrubina e das enzimas hepáticas no sangue.

Como vê, é muito importante que o gato tenha uma alimentação cuidada, sobretudo no caso de o mesmo ser obeso. Uma dieta de emagrecimento adequada não faz desenvolver a lipidose hepática felina, já que deverá ser uma dieta equilibrada, que proporcione as proteínas e hidratos de carbono necessários para que não se alterem as vias metabólicas do gato.

Em suma, podemos afirmar que a lipidose hepática felina é o resultado de alterações metabólicas que se desenvolvem nos gatos com obesidade, que caem num estado de anorexia prolongada devido ao stress.

 

Artigos relacionados:

 

New Call-to-action