Insuficiência renal em cães após a ingestão de passas ou uvas | Vets & Clinics

O espaço de referência dos veterinários #SomosVets

Insuficiência renal em cães após a ingestão de passas ou uvas

A ingestão de uvas ou passas pode causar insuficiência renal nos cães graças à sua toxicidade. Após a ingestão, aparecem sintomas como diarreia, vómitos, letargia e alterações renais. O prognóstico varia entre casos, mas é, muitas vezes, desfavorável, sobretudo quando acompanhado de sinais como oligúria ou anúria.

Medicina e cuidados

Tanto as uvas como as passas são alimentos muito perigosos para os cães e são uma causa frequente de intoxicação, como comprovado por um estudo realizado entre agosto de 1994 e setembro de 2007 por Sunton N. et al.1 investigadores do Veterinary Poisons Information Service em Londres, no qual se analisou a evolução clínica de 169 casos de intoxicação em cães por uvas e passas da Vitis vinífera.

Descarregue GRATUITAMENTE → Clinical Tool: Abordagem multimodal  no tratamento das doenças do trato urinário inferior felino. 

Os resultados mostraram que quanto maior era a ingestão de uvas ou passas, mais graves eram os sinais de toxicidade apresentados pelos animais, independentemente da sua idade, sexo ou raça. Como esperado, as passas causaram mais danos do que as uvas, o que se deve ao facto de conterem uma maior concentração das toxinas encontradas de forma natural na uva.

A ingestão de uvas e passas também aumenta a concentração de nitrogénio ureico e/ou creatinina sérica, o que pode desencadear insuficiência renal em cães, uma doença caracterizada pela alteração da função dos rins que afeta a eliminação adequada dos líquidos do corpo.

Sinais de insuficiência renal canina como consequência da ingestão de uvas e passas

Os sintomas de uma intoxicação por uvas ou passas começam a manifestar-se cerca de 6 horas após a ingestão. O quadro clínico é caracterizado por:

  • Vómitos
  • Diarreias
  • Sensibilidade abdominal
  • Letargia
  • Falta de apetite ou anorexia
  • Desidratação
  • Restos de uvas ou passas nas fezes ou vómito
  • Polidipsia
  • Oligúria
  • Anúria

Os exames laboratoriais costumam mostrar um aumento da ureia ou creatinina no sangue, como constatado por um estudo realizado por Eubig P. et al.2 em 2005, que analisou uma base de dados toxicológica canina que incluía 43 animais intoxicados por uvas, passas ou ambas.

Além disso, 95% dos cães intoxicados com uvas ou passas apresentaram um aumento no produto cálcio-fósforo, ao passo que 90% manifestaram hiperfosfatemia, um transtorno hidroeletrolítico caracterizado por um aumento anormal do nível de fosfato no sangue, e 62% hipercalcemia, outro transtorno hidroeletrolítico que consiste no aumento dos níveis plasmáticos de cálcio.

É importante realçar que o princípio tóxico e o mecanismo exato na nefrotoxicidade induzida pela uva não são conhecidos, mas pensa-se que os seus efeitos danosos estejam relacionados com um agente nefrotóxico ou uma reação idiossincrásica, que, por sua vez, causa um choque hipovolémico ou isquemia renal.

Consequências e prognóstico da insuficiência renal canina como resultado da ingestão de uvas e passas

A consequência mais evidente da insuficiência renal em cães após a ingestão de uvas e passas é a alteração da função renal, que se traduz numa incapacidade de expulsar as toxinas do corpo através da urina. Em alguns casos, o animal pode urinar muito pouco e apresentar uma urina escura ou deixar de urinar totalmente ou, pelo contrário, urinar demasiado e apresentar uma urina muito clara. Ambos os casos são um sintoma de que os rins não estão a funcionar bem.

Na investigação mencionada realizada por especialistas da American Society for the Prevention of Cruelty to Animals2, a necrose tubular proximal renal, que afeta as células dos túbulos dos rins, foi a consequência histológica mais frequente nos animais intoxicados por uvas ou passas. A insuficiência renal nos cães também afeta a pressão arterial do animal, e nos casos mais graves pode induzir um estado comatoso ou, no pior cenário, levar à morte do animal.

De facto, dos 43 cães analisados, apenas 23 sobreviveram e 15 tiveram uma remissão completa dos sintomas clínicos. Cinco deles morreram de forma natural como consequência da intoxicação com as uvas e passas e 15 tiveram de ser submetidos a eutanásia.

Descarregue GRATUITAMENTE → Clinical Report: Estudos sobre a mineralização da água e a sua relação com as FLUTD

Nos casos de cães com oligúria ou anúria, o prognóstico costuma ser desfavorável. A elevada concentração de cálcio e do produto cálcio-fósforo são indicadores de um prognóstico negativo. Na realidade, a insuficiência renal em cães como resultado da ingestão de uvas ou passas tem um índice de mortalidade bastante elevado, estimando-se que cerca de 50% dos cães morram por insuficiência renal depois de comerem esta fruta.

No entanto, se o nível de tolerância do animal às uvas e passas for elevado e o tratamento for precoce, o prognóstico pode ser favorável. Um estudo realizado por Cortinovis C. y Caloni F.3 revelou existir uma grande variabilidade no nível de tolerância dos cães a esta fruta: enquanto alguns animais permaneciam assintomáticos após consumir um quilo de passas, outros podiam morrer com a ingestão de poucas uvas. Nestes casos, assim que o animal tiver recuperado, pode ter uma vida normal, mas se tiver sofrido uma lesão renal será necessário fazer algumas alterações ao seu estilo de vida, sobretudo à sua dieta.

Tratamento da insuficiência renal canina após a ingestão de uvas e passas

O tempo é um fator crucial no tratamento da insuficiência renal em cães como consequência da ingestão de uvas ou passas. Devem ser realizados exames clínicos e laboratoriais para corroborar o diagnóstico.

O tratamento de eleição costuma ser o uso de eméticos, como o carvão ativado, para provocar o vómito, para que o animal consiga expulsar a maior quantidade de toxinas possível. Recomenda-se também a administração intravenosa de líquidos durante um mínimo de 48 a 72 horas para regular a função renal e o equilíbrio hídrico do cão. Também se deve fazer o acompanhamento da função renal do animal durante pelo menos 72 horas.

Quando o animal regressar a casa, é importante apostar numa dieta renal que ajude a regular o funcionamento dos rins, sobretudo se o cão tiver sofrido uma lesão renal. A Advance Veterinary Diets Renal é uma boa solução, já que conta com um alto teor de fibra solúvel e é baixa em fósforo, sódio e proteínas, contribuindo assim para reduzir a carga renal e controlar a acidose.

Bibliografia:
Sutton N. et. Al. (2009) Factors influencing outcome of Vitis vinifera (grapes, raisins, currants and sultanas) intoxication in dogs. Veterinary Record; 164 (14): 430-431.
Eubig, P. et. Al. (2005) Acute renal failure in dogs after the ingestion of grapes or raisins: a retrospective evaluation of 43 dogs (1992-2002). Journal of Veterinary Internal Medicine; 19 (5): 663-74.
Cortinovis, C. y Caloni, F. (2016) Household Food items Toxic to Dogs and Cats. Frontiers in Veterinary Science; 3 (26): 1-7.

Descarregue GRATUITAMENTE → Clinical Tool: Abordagem multimodal  no tratamento das doenças do trato urinário inferior felino.