Metronidazol, cães e infeções do sistema gastrointestinal

metronidazol Tempo de leitura: 3 minutos

O metronidazol é um fármaco antibiótico derivado do 5-nitroimidazol que se utiliza tanto em medicina veterinária como em medicina humana, e frente a bactérias anaeróbicas e organismos protozoários. Entre as suas indicações encontramos infeções do sistema gastrointestinal, urinário, genital e a nível cutâneo, entre outras. Apesar de os efeitos adversos serem pouco frequentes, podem surgir letargia ou alterações gastrointestinais e, por vezes, hepatotoxicidade.

 

Indicações do metronidazol nos cães

  • Tratamento de infeções do sistema gastrointestinal causadas por Giardia spp. e Clostrida spp. (por exemplo, C. perfringens ou C. difficile).  Também se utiliza no tratamento da diarreia crónica associada à doença inflamatória intestinal, e no tratamento da enterocolite granulomatosa.
  • Tratamento de infeções do sistema urinário e genital, bem como da pele, causadas por bactérias anaeróbicas obrigadas (por exemplo Clostridia spp.) sensíveis ao metronidazol.

Em relação ao uso do metronidazol em diarreias de cães afetados por enteropatias inflamatórias crónicas, mais concretamente no caso da diarreia que reage a antibióticos (ARD), o problema dá-se devido a um super-crescimento bacteriano na parte anterior do intestino. Estas bactérias não são patogénicas, mas causam uma disfunção intestinal. Como tratamento, é utilizada a antibioticoterapia empírica de espectro amplo, já que a população bacteriana varia de semana em semana. O objetivo é o de reduzir o número de bactérias, porque é impossível esterilizar completamente o tubo digestivo. Em animais que estejam em estado grave e nos quais necessitemos de um efeito rápido, pode ser utilizada a combinação de enrofloxacina e metronidazol. Para melhorar a eficácia do tratamento é importante utilizar uma dieta de eliminação de alta qualidade. Além disso, estas diarreias podem ser minimizadas com mudanças introduzidas no tipo de dieta (para aceder a um estudo realizado pela Affinity sobre a dieta e a antibioticoterapia clique aqui)

 

New Call-to-action

 

Para obter mais informações sobre a fisiopatologia gastrointestinal do cão e do gato, pode descarregar o guia clicando aqui

Para administração por via oral, a dose recomendada é de 50 mg de metronidazol por dia por cada kg de peso corporal, durante 5-7 dias. A dose diária pode ser dividida em partes iguais para administração duas vezes por dia (ou seja, 25 mg/kg de peso corporal duas vezes ao dia).

 

Mecanismo de ação

O metronidazol em cães é ativo frente a protozoários e bactérias anaeróbicas, e também contra a grande maioria dos bacilos Gram negativos anaeróbicos, bacilos Gram positivos esporógenos anaeróbicos e cocos anaeróbicos. Em relação á atividade anti-parasitárias possui ação contra tricomonas, giárdias e amebas, incluindo Trichomonas foetus, Trichomonas gallinae, Giardia lamblia e Histomonas meleagridis.

Os nitroimidazóis necessitam da ativação por parte dos microrganismos sensíveis, para poderem exercer a sua ação anti-microbiana. Para que esta ativação tenha lugar, é necessário um ambiente de anóxia ou hipóxia e, portanto, é realizada por microrganismos anaeróbicos ou microaerófilos. Uma vez no interior do microrganismo, o grupo nitro aceita eletrões de proteínas transportadoras de eletrões, resultantes da respiração anaeróbica. Estes transportadores de eletrões possuem um potencial redox estranhamente negativo e, consequentemente, apresentam uma forte capacidade redutora que permite a redução do grupo nitro dos nitroimidazóis. Esta redução, levada a cabo no interior dos microrganismos sensíveis, gera produtos intermédios quimicamente reativos que iriam produzir o dano nas células, como consequência de uma reação de macromoléculas, tais como o ADN, originando uma rotura das fibras do referido ácido nucleico.

 

Efeitos adversos e precauções a ter em conta

Em relação às precauções que deverão ser tidas em conta, o metronidazol não deverá ser utilizado em animais com hipersensibilidade ou alergia ao fármaco. Também deve ser utilizado com precaução em animais severamente debilitados ou em cadelas grávidas, e o seu uso deve ser evitado em animais com doença hepática. Devido ao seu metabolismo hepático, o metronidazol é suscetível à inibição enzimática que pode ocorrer com a administração conjunta de cimetidina. O fenobarbital, a prednisolona e a rifampicina podem induzir o metabolismo oxidativo deste fármaco.

Os efeitos adversos do metronidazol incluem letargia, debilidade, doença hepática, transtornos neurológicos, neutropenia e alterações gastrointestinais como os vómitos e a falta de apetite.

O uso prolongado ou sobredose podem resultar em graves problemas neurológicos, incluindo nistagmo, ataxia, inclinação da cabeça, desorientação, tremores, convulsões e rigidez muscular.

 

Pode obter mais informação em:

 

New Call-to-action

Entradas relacionadas

No hay comentários

Ainda não existe nenhum comentário para esta entrada.