Tempo de leitura: 4 minutos

Os primeiros meses de vida do cachorro são os mais críticos. O recém-nascido não só tem de enfrentar um crescimento acelerado, mas também viver com um sistema digestivo e um sistema imunitário imaturos. Uma escolha correta da ração (alimento) para cachorros será crucial para um desenvolvimento correto e deverá fornecer nutrientes que ajudem a reforçar a imunidade, nomeadamente os nucleótidos, além de ser responsável pelo crescimento. Quais são e como funcionam?

 

Elevada mortalidade nos cachorros com o sistema imunitário imaturo

Os dados estimam que 30% dos cachorros morrem nas primeiras semanas de vida (Dumon 2005). Os animais jovens são mais suscetíveis às infeções, quer virais e bacterianas quer parasitárias, por isso é importante fornecer um reforço do sistema imunitário aos cachorros recém-nascidos.

Ainda que o sistema imunitário do cão se comece a desenvolver enquanto feto no útero, as imunoglobulinas maternas têm uma capacidade muito limitada de atravessar a barreira da placenta. De facto, a maior parte das imunoglobulinas são obtidas a partir do leite da cadela.

 

Imunidade do leite materno: o colostro

O leite materno da cadela, concretamente o colostro, é a principal fonte de imunidade para o cachorro. De facto, o cachorro adquire a maior parte das imunoglobulinas durante as primeiras 24h, período em que o colostro contém a maior quantidade de anticorpos e em que a parede intestinal do cachorro ainda os consegue absorver. A partir desse momento, a concentração de anticorpos do colostro vai diminuindo progressivamente. Acontece a peculiaridade de que dentro da mesma ninhada nem todos os recém-nascidos adquirem a mesma imunidade, já que os que nascem mais tarde recebem uma menor quantidade de anticorpos maternos devido à diminuição da concentração dos mesmos no colostro.

O colostro irá conferir uma proteção ao cachorro que durará 1- 2 meses. A partir deste momento, será o próprio animal a ativar o seu sistema imunitário para se proteger dos antigénios externos.

 

Reforço imunitário através da nutrição

Uma nutrição adequada durante a gestação, a lactação e o crescimento é uma grande ajuda para a potencialização do sistema imunitário, que ajuda a proteger das infeções externas. Além disso, a etapa de maior suscetibilidade coincide com o início da alimentação sólida, sendo por isso uma excelente oportunidade para proteger o cachorro.

imunonutrição

 

Qual o período adequado para introduzir a alimentação sólida?

Os cachorros podem ser alimentados com comida seca a partir das 2,5 e as 4 semanas. Não é aconselhável adiar o momento da introdução da ração para cachorros, já que posteriormente o leite já não tem capacidade de fornecer todos os nutrientes necessários ao cão. Uma dieta que contenha os nutrientes adequados limita o risco de sofrer de doenças relacionadas com o crescimento e ajuda a manter uma boa saúde geral.

 

New Call-to-action

Quais os ingredientes que contribuem para estimular a imunidade na ração para cachorros?

Os ingredientes que contribuem para reforçar o sistema imunitário imaturo do cachorro são os chamados “imunonutrientes”. Entre eles, destacamos:

  • Nucleótidos
    Os nucleótidos são necessários para a duplicação celular e para a síntese das proteínas e devem ser fornecidos através da dieta, uma vez que os cachorros não os conseguem sintetizar de novo.
  • Imunoglobulinas do plasma
    Fornecidas em forma de concentrados naturais de IgG, reforçam o sistema imunitário, ligando-se diretamente aos patógenos intestinais, evitando simultaneamente a sua aderência à mucosa e a produção de toxinas.
  • Prebióticos
    São fibras naturais que promovem o crescimento de uma microbiota saudável no intestino (lactobacilos e bifidobactérias)

Quer saber mais sobre a IMUNONUTRIÇÃO NOS CACHORROS? Recomendamos que consulte o relatório elaborado pelo departamento de I+D da Affinity Petcare aqui.

De seguida iremos sublinhar um pouco mais a ação dos nucleótidos e o seu papel protetor quando são introduzidos na dieta do cachorro.

 

Nucleótidos naturais no leite materno

Há anos que a elevada concentração de nucleótidos no leite materno humano é conhecida, bem como o seu papel no desenvolvimento imunológico do bebé. Assim, a União Europeia recomenda incluir suplementos com nucleótidos nas fórmulas de leite infantis.

O leite de cadela contém uma concentração muito maior de nucleótidos do que o leite humano, por isso os cachorros dependem do fornecimento dos mesmos através da alimentação.

 

Os nucleótidos na ração para cachorros estimulam a produção de anticorpos

A adição de suplementos de nucleótidos à dieta demonstrou ser capaz de potencializar as defesas dos cachorros, quer no que toca à imunidade humoral quer à imunidade celular (Romano et al 2006). Mais concretamente, na figura que a seguir mostramos podemos ver que os cachorros cuja dieta foi complementada com nucleótidos produziam mais anticorpos depois da vacinação, o que indica uma maior atividade imunitária.

 

imunonutrição

 

A ação dos nucleótidos é realizada a nível molecular, nomeadamente no processo de duplicação celular. Os nucleótidos fazem parte do ADN e do ARN; são as conhecidas bases nitrogenadas Adenina, Guanina, Citosina, Tiamina e Uracilo (A G C T U), que combinadas com outras moléculas formam as cadeias de ácidos nucleicos.

De forma sucinta, intervêm na duplicação celular ao participar no processo da transcrição (ADN –> ARN) para a síntese de proteínas. Algumas das células que participam diretamente na função de proteção do organismo têm uma capacidade muito limitada de sintetizar proteínas a partir de aminoácidos, por isso o fornecimento de nucleótidos através da dieta é indispensável para o funcionamento correto do sistema imunitário. Concretamente referimo-nos a células tão importantes como as hematopoiéticas, os leucócitos e as da mucosa intestinal.

Para concluir, na escolha de um alimento (ração) para cachorros deve ter-se em conta a imaturidade do seu sistema imunitário e recomendar, sempre que seja possível, uma dieta com imunonutrientes como os nucleótidos, as imunoglobulinas e os prebióticos.

Referências

  • Romano V, Martinez-Puig D, Torre C, Iraculis N, Vilaseca Ll, Chetrit C. Dietary Nucleotides Improve The Immune Status Of Puppies At Weaning. Reunião de AAVN 2006. Louisville (Kentucky, EUA)
  • Dumon C. Pathologie néonatale du chiot. EMC – Vétérinaire. March 2005; 2 (1): 30-53
  • Jeusette I, Romano V, Salas A, et al. Relatório de Investigação: A IMUNONUTRIÇÃO NOS CACHORROS. Affinity Petcare, 08174 St. Cugat del Vallès, Barcelona (SPAIN)
New Call-to-action