Toxoplasmose nos gatos: sintomas, diagnóstico e tratamento

toxoplasmose gatos Tempo de leitura: 3 minutos

A coccidiose é uma infeção provocada por parasitas do sistema gastrointestinal, e que afeta principalmente os gatinhos, devido à imaturidade do seu sistema imunitário. A toxoplasmose, originária dos gatos, pode ser transmitida aos humanos, ainda que o resto de coccidioses não contagiem o ser humano. Assim, a toxoplasmose constitui a situação mais frequente. A administração de antibióticos irá evitar a reprodução do parasita.

 

Introdução

A coccidiose é uma doença provocada por parasitas localizados principalmente no intestino delgado de cães e gatos, entre outras espécies. Afeta mais frequentemente os cachorros e os gatos. Os animais adultos, geralmente, não padecem a doença mas podem albergar coccidias no seu intestino, e que são eliminados na matéria fecal.

As coccidias do género Isospora, as mais frequentemente observadas na matéria fecal de cães e gatos, não contagiam o ser humano com nenhum tipo de doença. Por outro lado, as coccidias como o toxoplasma podem ser transmitidas dos animais para o homem, pelo que representam um problema de saúde pública. (Se deseja mais informação sobre o toxoplasma, clique aqui)

A principal forma de contágio dá-se a partir do contacto do gato com os ovos do parasita, chamados Ovócitos, e que estão presentes na matéria fecal do animal. Além das situações que impliquem falta de higiene, qualquer outra circunstância que provoque uma diminuição das defesas imunitárias do gato irá causar predisposição do animal para contrair coccidiose.

 

Sintomas da coccidiose em gatos

Dado que os principais danos se dão a nível intestinal, a coccidiose nos gatos apresenta-se com diarreia líquida, por vezes acompanhada de sangue, podendo representar uma doença grave e que pode chegar a provocar a morte do gatinho. Também manifestam vómitos, anorexia com perda de peso e desidratação.

 

New Call-to-action

 

Os gatos adultos podem ser portadores dos parasitas mas não manifestar nenhum sintoma, devido à maturidade do seu sistema imunitário.

 

Como podemos diagnosticá-la?

Para efetuar o diagnóstico não será suficiente uma amostra de fezes, já que a observação de ovócitos de coccidias nas fezes do animal nem sempre evidencia uma parasitose. Os animais podem albergar um número insignificante de parasitas sem que se manifestem sinais clínicos da doença.

Portanto, será necessário recolher uma amostra sanguínea, para além da amostra de fezes.

 

Coccidiose nos gatos: tratamento

O tratamento divide-se em duas partes: tratamento sintomático e etiológico. Em relação ao tratamento dos sintomas, este baseia-se em impedir a desidratação do gato através do fornecimento de fluidos.

A antibioticoterapia constitui o tratamento de eleição para a coccidiose, sendo que os fármacos mais utilizados são o Sulfametoxazol e Trimetoprima.

Na realidade, o antibiótico não mata as coccidias, mas impede a sua reprodução, acabando por morrer desta forma.

Um dos pilares na prevenção da coccidiose é a implementação de medidas de higiene. Por outro lado, e como já explicámos anteriormente, o gatinho enfrenta a fase entre o nascimento e a idade adulta com um sistema imunitário e um aparelho digestivo em desenvolvimento, ainda imaturos, pelo que a alimentação desempenha uma função essencial.

O novo ADVANCE [puppy protect], com a incorporação de imunonutrientes fruto de investigações e estudos clínicos, otimiza o desenvolvimento global do cachorro e do gatinho, preparando-os para lutar contra as doenças. O leite de cadela, comparativamente com o leite humano e de outras espécies, é muito rico em nucleótidos livres (com um alto teor de pirimidinas), o que indica que o correto desenvolvimento dos animais recém-nascidos está dependente do fornecimento de nucleótidos da dieta. Foi possível demonstrar que as fórmulas de leite infantis complementadas com nucleótidos aumentam a resposta das vacinas e a imunidade celular dos bebés que as consomem.

Para obter mais informações sobre a imunonutrição aceda a este artigo do grupo Affinity

 

Artigos relacionados:

 

New Call-to-action

Entradas relacionadas

No hay comentários

Ainda não existe nenhum comentário para esta entrada.