Tratamento da diabetes insípida nefrogénica

diabetes insípida nefrogénica Tempo de leitura: 2 minutos

A diabetes insípida nefrogénica pode levar um a desidratação. Vamos centrar-nos no tratamento mais adequado.

 

O nome de diabetes insípida vem do grego diabetes, que significa “atravessar” e do latim insipidus “sem sabor”. A diabetes insípida provem de problemas em 2 pontos da via da hormona antidiurética:

  • Problema no sistema nervoso central (diabetes insípida central): não se sintetiza hormona antidiurética ao nível do hipotálamo ou não se segrega ao nível da hipófise.
  • Problema renal (diabetes insípida nefrogénica): não existe resposta ao nível dos rins

 

A diabetes insípida nefrogénica

A diabetes insípida nefrogénica consiste na incapacidade dos túbulos renais de responder à ação da hormona antidiurética.

Ação da hormona antidiurética

Em situações normais, a hormona antidiurética encarrega-se de estimular a reabsorção da água nos túbulos renais distais e do túbulo coletor renal, em função das necessidades de fluidos. O défice de ação da hormona antidiurética, não permitirá que se reabsorva a água ao nível distal, a provocar uma poliúria grave. Perderam-se grandes quantidades de líquido e a urina terá a densidade e a osmolaridade baixas. Como consequência irá produzir-se uma polidipsia compensatória.

 

New Call-to-action

 

Que etiologia tem a diabetes insípida nefrogénica?

Ainda que exista a diabetes insípida nefrogénica congénita, o mais frequente é que a diabetes insípida nefrogénica tenha causas secundárias como: a insuficiência renal crónica, a pielonefrite, a hipercalcemia, a hipopotassemia, o hiperadrenocorticismo, o hipertireoidismo, a piometra e a insuficiência hepática.

 

Sinais clínicos da diabetes insípida nefrogénica

O animal com diabetes insípida nefrogénica terá noctúria, incontinência urinária, emagrecimento pela grande preocupação em ingerir água, para além de poliúria e polidipsia. Além do mais, em função da etiologia subjacente, poderá ter outros sinais associados.

 

Tratamento

O tratamento da diabetes insípida nefrogénica pretende equilibrar os níveis hídricos do organismo. A quantidade de líquido administrado deve ser a mesma quantidade que sai. Se existe alguma alteração metabólica, como por exemplo hipercalcemia, deve ser corrigida na hora senão, mesmo que administrem diuréticos, não será mais possível corrigir.

Durante o tratamento deve manter uma dieta baixa em sal e proteínas.

A diabetes insípida nefrogénica é tratada com diuréticos, mais especificamente com a família das tiazidas. Elas diminuem a reabsorção do sódio, pelo que perde-se na urina e baixam os níveis de sódio no sangue. Ao baixar o sódio plasmático, diminui o consumo de água e assim, o volume de urina. Utilizam-se a clorotiazida e a hidroclorotiazida.

 

Artigos relacionados:

 

New Call-to-action

Entradas relacionadas

No hay comentários

Ainda não existe nenhum comentário para esta entrada.

Escreva um comentário