Vómitos e diarreias nos cães: efeitos das proteínas bioativas | Vets & Clinics

O espaço de referência dos veterinários #SOMOSVETS

Vómitos e diarreias nos cães: efeitos das proteínas bioativas

A gastroenterite é uma das patologias mais frequentes nos cães, causando vómitos e diarreia e que se for tratada corretamente, raras são as vezes que produz uma alteração grave. Embora tenha um curso autolimitado, o uso de um coquetel de prebiótico e probiótico pode acelerar a recuperação.

Nutrição e doenças

Causas mais frequentes da gastroenterite

A gastroenterite é causada por uma inflamação do estômago e intestino delgado que produz vómitos e diarreias no cão, assim como dor abdominal. Entre as diferentes causas podemos encontrar:

  • Intoxicação por alimentos em mau estado, água contaminada ou plantas tóxicas.
  • Infeção intestinal por protozoários, vírus ou bactérias nocivas, contágio por outro cão.
  • Comer compulsivamente
  • Intolerância à lactose
  • Certos medicamentos
  • Reação após um tratamento com antibióticos
  • Stress severo ou prolongado no tempo
  • Doença subjacente.

Uso de probióticos: redução do tempo de convalescença

Para demonstrar que o uso de probióticos pode reduzir o tempo de convalescença das diarreias agudas autolimitadas nos cães foi feito um estudo de casos controlo em que se administrava um coquetel probiótico que consistia em Lactobacillus acidophilus termo estabilizado e estirpes vivas de Pediococcus acidilactici, Bacillus subtilis, Bacillus licheniformis e Lactobacillus farciminis.  

Descarregue GRÁTIS → Guia de fisiopatologia gastrointestinal do cão e do gato

O tempo decorrido entre o início do tratamento até às últimas fezes anormais foi significativamente menor no grupo de cães com probióticos em comparação com o grupo placebo com um tempo médio de 1,3 dias e 2,2 dias respetivamente. Os dois grupos foram quase idênticos no que diz respeito ao tempo decorrido desde o início do tratamento até ao último episódio de vómitos.  

Como melhorar a saúde intestinal

A dieta advance GASTROENTERIC LOW FAT baseia-se em três princípios que são a proteção intestinal, o controlo sintomático da diarreia e uma melhor assimilação no intestino. Entre as suas indicações estão as seguintes:

  • Alterações gastrointestinais: enterite, gastrite, diarreia, doença inflamatória intestinal, má digestão/má absorção, linfangiectasia intestinal.
  • Doenças do pâncreas: pancreatite, insuficiência pancreática exócrina.
  • Hiperlipemia
  • Doença hepática não associada à encefalopatia

Em relação aos seus benefícios encontramos:

  • Proteínas plasmáticas bioativas: modulam o sistema imunitário intestinal e ajudam a manter a integridade da mucosa, com uma melhoria da digestão e da absorção de nutriente.
  • Alto nível de glutamina: trata-se do aminoácido considerado como a principal fonte de energia para os enterócitos. Melhora a função da mucosa intestinal em situações de stress metabólico, lesões da parede celular e durante os episódios de diarreia.
  • Ácidos gordos de cadeia média (MCT): melhora a digestibilidade e absorção da gordura, sendo rapidamente disponibilizada para uso.
  • Argila e alto conteúdo em arroz: a ação absorvente da argila e a alta digestibilidade do arroz contribuem para gerar um menor volume de fezes.
  • Proteínas hidrolisadas: facilitam a absorção dos aminoácidos essenciais e também o processo global de digestão.
  • Fonte de ácidos gordos Ω-3 de cadeia longa: proporcionam efeito anti-inflamatório intestinal.
  • Prebióticos (fruto-oligossacarídeos): estimulam o crescimento de bactérias benéficas no intestino.

Entre os seus componentes podem-se encontrar: arroz, milho, farinha de glúten de milho, proteínas desidratadas, óleo de coco, gordura animal, proteínas animais hidrolisadas, proteína hidrolisada de soja, proteínas plasmáticas, carbonato de cálcio, fosfato monocálcico, levedura, cloreto de potássio, óleo de peixe, fruto-oligossacarídeos, fibra vegetal, sepiolite.

AFP -  Guía GI Parte2 - Sidebar