As cadelas e as alterações hormonais


As cadelas e as alterações hormonais

Quando se pretende cobrir uma cadela, é necessário que se faça um pequeno estudo dos seus ciclos para determinar quais são os dias adequados, que variam dependendo da natureza de cada animal. É necessário que aponte a data do primeiro cio, pois assim será possível determinar os seguintes. Embora as tendências sejam as mesmas, independentemente da raça ou do tamanho, cada qual tem uma manifestação própria. Além disso, este controlo permitirá descobrir se existem possíveis anomalias ou problemas nos ciclos.

Um exame físico dos genitais, realizado pelo veterinário, pode indicar uma possível anomalia que induza a cadela a ter ciclos curtos. Os problemas hormonais, em contrapartida, não são detetáveis a olho nu.

Primeiramente, é necessário descobrir qual é a origem da disfunção sexual da cadela. As alterações dos ciclos sexuais podem ser provocadas por vários motivos, entre eles, a ausência do desenvolvimento dos órgãos sexuais ou problemas hormonais.

O caso da hipersexualidade acontece quando o período entre dois cios é cada vez mais curto. Mesmo que a cadela seja estéril, o tempo do cio é mais longo. Trata-se de uma doença muito estranha e pouco vulgar, mas pode ocorrer ocasionalmente. É necessário controlar a cadela, pois a hipersexualidade também pode levar a alterações comportamentais e, caso se agrave, pode chegar a tornar-se num estado quase permanente.

Um outro problema reside também nos ciclos curtos ou na hipossexualidade. Uma doença nos ovários pode provocar esta alteração que está, frequentemente, associada à obesidade. Neste caso, os cios são curtos e em alguns casos estão totalmente ausentes, o que significa que a sua cadela é estéril.

Caso não haja nenhum tipo de problema, a cadela passa por dois ciclos por ano. Um ciclo normal divide-se em três fases, embora haja uma quarta que, na realidade, é o descanso da atividade sexual, até ao início de um novo ciclo.

O primeiro denomina-se proestro e dura entre 7 a 21 dias. A vulva incha, perde sangue e inicia a atração do macho, embora a cadela ainda rejeite qualquer tentativa de cobrição por parte do macho. O estro tem uma duração de 2 a 5 dias. A ovulação acontece entre o terceiro e o quinto dia a partir do início desta fase. A vulva continua inchada, mas as perdas de sangue diminuem e a cadela já aceita a cobrição. A terceira fase é o metaestro, que dura entre 100 a 140 dias, durante a qual a cadela rejeita a cobrição. Se a cadela tiver ficado prenhe, a gestação acontece nesta fase. Depois do metaestro, tem início a fase de descanso da atividade sexual da cadela, o anestro, que tem uma duração variável.

Como pode ver, é indispensável seguir de perto os ciclos sexuais da sua companheira canina, tanto para que esta tenha cachorrinhos como para descobrir qualquer tipo de alteração.