Como evitar arranhões dos nossos gatos


Como evitar arranhões dos nossos gatos

Os gatos, especialmente quando são jovens, precisam de brincar para aprender e praticar os seus talentos de caça. A sua brincadeira preferida consiste em observar, perseguir e atacar qualquer tipo de presa, seja um brinquedo, um animal vivo ou os pés e tornozelos do dono quando anda pela casa. Uma das formas mais eficazes de evitar estes arranhões é brincar com o nosso animal de estimação, de preferência com varas com penas e outros brinquedos que nos permitam reforçar os laços afetivos com ele. Contudo, é importante que a nossa mão não entre em contacto direto com o gato, pois tem de aprender desde pequeno que a mão serve para lhe dar mimos e não para brincar. Caso contrário, será muito difícil fazer com que não nos arranhe quando lhe tocarmos. Uma forma de dissuadi-lo é interromper a brincadeira quando nos arranhar. Vai aperceber-se de imediato que não queremos brincar se nos arranhar, pelo que evitará fazê-lo para que passemos mais tempo com ele.

Os gatos também tendem a arranhar para marcar o território, principalmente no seu refúgio, para onde o animal vai para descansar. Normalmente, as vítimas destes arranhões são os móveis, objetos domésticos, etc. Para combater este comportamento, coloque um arranhador perto da área onde o gato dorme.

Por outro lado, embora a melhor opção seja sempre educar o gato desde pequeno, ensinando-lhe onde pode e não pode arranhar, existem outras soluções para o problema. Por exemplo, existem capas de plástico que se unem com cola para tapar as unhas, reduzindo assim os incómodos causados pelos arranhões. Também pode cortar as unhas regularmente, mas com muito cuidado para não cortar a pequena veia que se encontra dentro da unha. Este procedimento deve ser realizado desde que são pequenos, para que se habituem, e todas as semanas ou de duas em duas.

A opção menos aconselhável (e que, felizmente, caiu em desuso) é a ablação das unhas, uma operação cirúrgica muito agressiva que consiste na amputação da última falange do dedo, zona onde nasce a unha. Este procedimento afeta negativamente a vida diária do gato, pois priva-o de uma das suas ferramentas mais apreciadas e características. Além disso, pode desenvolver problemas de postura e alterar a sua forma natural de andar e de se movimentar.