Tempo de leitura: 3 minutos

 

Muitos gatos continuam a chegar aos refúgios todos os anos, de acordo com o estudo anual sobre o abandono da Fundación Affinity e o número de gatos disponíveis para adoção tem aumentado. Vamos explicar-lhe o que acontece quando não encontram um novo lar.

O abandono de gatos e a reprodução em liberdade sem o controlo da população felina continuam a ser um dos principais problemas que afetam o bem-estar destes animais. Existe um grande número de gatos para adoção. Neste artigo analisamos os dados mais recentes sobre o abandono de gatos, o que lhes acontece quando chegam aos refúgios e quantos conseguem ser adotados.

 

New Call-to-action

 

A seguir apresentamos-lhe um vídeo realizado pela Fundación Affinity relativamente aos dados sobre abandono e adoção recolhidos durante 2015.

 

Número de gatos abandonados

 Apesar de uma ligeira tendência para a redução do número de animais abandonados, no ano passado foram resgatados das ruas 33 330 gatos.

Com estes dados e os dos anos anteriores, a taxa de abandono de gatos situa-se em cerca de 7 gatos por cada 10 000 habitantes, o que nos dá uma ideia da tremenda magnitude do problema, especialmente se tivermos em atenção que nem todos os lares têm um gato. É um problema que afeta 1% dos 3 600 000 gatos que vivem em Espanha.

 

Gatos nos refúgios e associações protetoras de animais: o que lhes acontece?

Um dado bastante interessante é que apenas 3,3% dos gatos resgatados foram devolvidos aos seus donos. Os gatos resgatados não tinham, na sua maioria, uma identificação correta e apenas 3,1% deles tinham microchip identificativo. Mas o mais preocupante é que estes números são piores do que os observados em anos anteriores.

 

adoção de gatos

 

Evolução da percentagem de gatos que chegam a um refúgio de animais e que são recuperados pelos seus donos 

 

41,2% dos gatos são adotados. Outro dado importante é que 16,4% destas adoções dão-se noutros países, o que nos indica que em Espanha ainda há um longo caminho a percorrer para melhorar os números da adoção de gatos.

Entre os gatos que não são adotados, 14,7% permanecem no refúgio, mas cerca de 15,5% não têm tanta sorte e são eutanasiados.

 

adoção de gatos

 

Destino dos gatos que chegam a um refúgio ou associação protetora de animais

 

À luz destes dados, é óbvio que promover a adoção de gatos é uma das iniciativas que podemos tomar para tentar reduzir o número de gatos que continuam nos refúgios. De facto, nos últimos anos o número de animais que permanecem nos refúgios tem baixado. Além disso, no ano de 2008 entrou em vigor a lei anti-sacrifício, pelo que o número de gatos eutanasiados passou de 38,2% para 15%.

 

Evolução da proporção de gatos que são sacrificados, que permanecem no refúgio ou que são adotados

 

Principais motivos para a adoção de gatos:

  1. Sensibilização em relação ao problema do abandono (38,5%)
  2. Colaborar com associações protetoras de animais (20,2%)
  3. Recomendação por parte de pessoas de confiança (14,8%)

 

Motivos mencionados pelas pessoas para adotar um animal de estimação.

 

Benefícios de adotar um gato e levá-lo para casa:

  • A adoção é uma das melhores medidas para diminuir o número de animais sem lar.
  • Também alivia os enormes gastos que pressupõe sustentar um refúgio para animais.
  • Benefício direto para o animal.
  • Aumento do número de membros da família.
  • Defesa do bem-estar e dos direitos dos animais.

 

Adotar um gato requer um processo de reflexão, uma vez que é necessário avaliar o impacto na qualidade de vida familiar que a chegada de um novo membro irá trazer. Além disso é importante obter informações sobre de que forma podemos favorecer a adaptação do animal ao seu novo lar, para assim evitarmos problemas de comportamento que resultem numa devolução do animal ao refúgio.

Para aumentarmos o número de gatos em adoção que encontram um novo lar é necessário realizarmos um trabalho pedagógico, no qual esteja inserida toda a sociedade, incluindo, obviamente, os veterinários e a administração.

 

New Call-to-action