Gengivite nos gatos: causas e prognóstico

gengivite Tempo de leitura: 2 minutos

A gengivite nos gatos tem muitas causas diferentes, dependendo de qual seja o prognóstico. Neste artigo falaremos sobre as etiologias e o prognóstico correspondente da gengivite nos gatos.

A gengivite nos gatos é a inflamação da mucosa oral, orofaríngia e lingual. É uma das doenças periodontais mais frequentes em nos gatos. Gatos de todos os tipos podem ser afetados e de qualquer idade, ainda que seja mais frequente em gatos de raça somali, abissínia e siamesa. Seu percurso é lento e latente pelo que há ocasiões que não se deteta o problema até que se nota o desanimo no gato ou este diminui a ingestão de alimentos.

 

Causas mais frequentes da gengivite nos gatos

O leque de causas da gengivite nos gatos é muito amplo. As doenças sistémicas como a uremia, diabetes mellitus, má nutrição grave, intoxicação por metais pesados, os retrovírus ou o tratamento com corticoides a longo prazo, podem provocar gengivite nos gatos. Mas a gengivite nos gatos também pode ter outras etiologias mais concretas como:

  • etiologia autoimune (pênfigo vulgar e penfigoide bolhoso)
  • vírica (calicivírus, herpesvírus, panleucopenia felina, cinomose)
  • periodontal
  • neoplásica
  • físico-química (contacto com cáusticos, eletrocussão, corpos estranhos).

 

New Call-to-action

 

A gengivite nos gatos tende a provocar úlceras ou zonas de proliferação na mucosa oral. Pode ser acompanhada de sialorreia, dificuldade para ingerir líquidos ou alimentos e dor.

 

Tratamento para a gengivite nos gatos segundo a etiologia

O tratamento depende da etiologia causadora da gengivite nos gatos.

  • Gengivite por calicivírus: não existe um tratamento específico. Podem ser administrados antibióticos para prevenir as infeções bacterianas que apareçam.
  • Gengivite por retrovírus: podem ser administrados antibióticos. Se com isso não existir melhoria nos sintomas, podem ser utilizados corticoides para diminuir a inflamação. Nos últimos tempos, a imunoterapia tem começado a ser utilizada. Consiste em administrar interferão alfa e Propionibacterium acnes para que atuem como imunoestimulantes, a melhorar a imunodepressão.
  • Gengivite linfoplasmocitária: utiliza-se a antibioterapia, ainda que sem grandes resultados. Corticoides também podem ser utilizados, para inibir a resposta inflamatória e a higiene bucal como manutenção.

Em geral, recomenda-se a limpeza bucal ou tartarectomia nesses animais. Por vezes é necessário extrair os dentes mais danificados. Inclusive, parece existir uma ligação entre a gengivite e a dieta do gato, já que os alimentos húmidos podem aumentar a sua frequência.

 

O prognóstico da gengivite nos gatos depende da etiologia

O prognóstico da gengivite nos gatos está relacionado com a etiologia. Vale a pena mencionar o caso da gengivite linfoplasmocítica. Nela o prognóstico é mau já que, ao ser uma doença sem cura, os animais perdem dentes pouco a pouco.

A própria evolução da gengivite nos gatos é o que acaba por finalizar o problema em certas ocasiões. A medida que os dentes caem, isso acaba por solucionar a gengivite, visto que a gengiva necessita de uma superfície de contacto para manter a inflamação.

 

Artigos relacionados:

 

New Call-to-action

Entradas relacionadas

No hay comentários

Ainda não existe nenhum comentário para esta entrada.

Escreva um comentário