Leucemia em gatos: hematologia e bioquímica sérica em gatos com FeLV | Vets & Clinics

O espaço de referência dos veterinários #SomosVets

Leucemia em gatos: hematologia e bioquímica sérica em gatos com FeLV

A leucemia em gatos é uma doença oncológica grave que afeta principalmente os animais jovens, com uma elevada associação ao vírus da leucemia felina. Os transtornos analíticos, sobretudo a nível da hematologia, são altamente prevalentes nesta doença.

Medicina e cuidados

Descarregue GRÁTIS → Guia de fisiopatologia gastrointestinal do cão e do gato

Leucemia nos gatos: breve revisão

O vírus da leucemia felina apresenta sintomas muito diversos e pouco diferenciados, com consequências que se podem revelar mortais para os gatos. A leucemia é uma doença oncológica no decurso da qual se produz uma proliferação neoplásica de células hematopoiéticas com origem na medula óssea, com disseminação na maioria dos casos, e com uma progressão que pode ser aguda ou crónica.

leucemia nos gatos

De acordo com a linha celular em proliferação, distinguem-se os principais tipos de leucemia mieloproliferativa e linfoproliferativa. Na espécie felina é mais frequente surgir em animais jovens, com uma associação à infeção por retrovírus, nomeadamente à infeção pelo vírus da leucemia felina (FeLV), embora se tenha demonstrado recentemente a associação de leucemias com a infeção por vírus da imunodeficiência felina (VIF).  

A infeção dá-se por meio do contacto com secreções do animal infetado, com uma multiplicação a nível da orofaringe e do tecido linfático local. Posteriormente, o grau de afetação irá depender do estado imunitário do gato. Desta forma, se o animal for imunocompetente pode chegar a eliminar o vírus, enquanto que nos gatos com um sistema imunitário comprometido o vírus se multiplica nas células da linha branca, com disseminação por todo o organismo. (Aqui pode encontrar o artigo de investigação elaborado pela Affinity sobre imunonutrição nos cachorros).  

Manifestações clínicas e analíticas

Entre os sintomas destacam-se a aparição de depressão, anorexia, emagrecimento, claudicação, febre, dispneia, vómitos, diarreia e infeções bacterianas recorrentes. Presença de hepatomegalia, esplenomegalia, linfadenopatia e petéquias. Por vezes, poderão surgir sinais associados à disfunção de um órgão, que serão diferentes em função da zona onde se tenha dado a infiltração por células neoplásicas. As alterações dos parâmetros hematológicos e bioquímicos constituem grandes indicadores desta doença. 

Desta forma, e a partir de um estudo1 com uma amostra de 3780 gatos, observou-se que os gatos infetados com FIV possuíam maior probabilidade de ter neutropenia e menores atividades séricas de AST e GGT, bem como uma maior concentração de proteínas séricas e de globulinas do que os gatos-controlo. Por outro lado, os gatos infetados com FeLV apresentavam uma maior frequência de alteração dos parâmetros hematológicos do que bioquímicos, como a anemia, trombocitopenia, neutropenia e linfocitose.  

leucemia gato

Prognóstico

Em relação ao prognóstico da doença, este depende do tipo de leucemia e da sua evolução, com um melhor prognóstico nas variantes crónicas e após a realização de quimioterapia, que constitui o tratamento de eleição para essas variantes. Os gatos infetados representam um risco para os outros felinos, dado que podem disseminar o vírus.

  1. S. Gleich and K. Hartmann. Hematologia e bioquímica sérica em gatos infetados com Vírus da Leucemia Felina e Vírus da Imunodeficiência Felina. J Vet Intern Med 2009; 23: 552–558

AFF - TOFU - RR gastro feline - POST