Qual a melhor ração para gatos: obesidade e conselhos para o dono | Vets & Clinics

O espaço de referência dos veterinários #SomosVets

Qual a melhor ração para gatos: obesidade e conselhos para o dono

A cada 2 gatos que visitam a clínica veterinária, 1 deles apresenta obesidade. Hoje em dia não prestamos atenção a este problema de saúde (apesar de tão comum) porque um gato com uns quilos a mais continua a ser visto como um sinal de um lar onde se respira bem-estar e abundância.

Nutrição e doenças

Por esta razão, torna-se ainda mais importante consciencializar os donos da necessidade de saberem qual a melhor ração para gatos, bem como de estarem cientes que a obesidade é uma doença que deve ser prevenida e tratada adequadamente.

Solicite GRATUITAMENTE o póster de avaliação do estado corporal de gatos

O gato obeso

Os gatos mais afetados pela obesidade são os que vivem em meio urbano, por não terem acesso ao exterior e manterem-se sedentários. Os machos sofrem deste problema mais do que as fêmeas, e a esterilização costuma desencadear a obesidade, devido ao facto de as necessidades energéticas diminuírem aproximadamente 30% após esta intervenção.  

A consciencialização do dono

A obesidade felina não é um problema estético. É necessário educar o dono do animal para a prevenção, já que esta condição afeta a saúde do animal de estimação de diferentes formas:  

  • Aumenta o risco de desenvolver doenças secundárias, como a diabetes felina.
  • Problemas higiénicos: O animal obeso apresenta dificuldades para alcançar zonas do seu corpo e não consegue efetuar a sua higiene de forma normal. Isto pode originar problemas na sua pele e no seu pêlo, além de lhe ser incómodo e lhe causar stress.
  • Problemas na gestão cirúrgica. Quando surgem problemas que exigem a realização de cirurgias, o excesso de gordura dificulta a administração de anestesias.

Descarregue GRÁTIS → Guia de fisiopatologia gastrointestinal do cão e do gato

Medidas para a prevenção da obesidade felina no lar

Será preferível atuar antes de que o problema surja. Alguns conselhos que podem ajudar o dono do gato sedentário:

  • Um gato ativo irá ter sempre menos probabilidades de desenvolver obesidade.

O ambiente e o meio envolvente onde o gato habita deverá ser enriquecido, e estimular a sua curiosidade e prática de exercício físico: brinquedos, possibilidade de explorar e trepar, e desafios físicos irão ajudá-lo a manter-se ativo. Isto irá contribuir para a manutenção da sua massa muscular, além de o manter sem stress.

  • As brincadeiras e as carícias como recompensa.

Os donos recompensam habitualmente o seu animal de estimação com comida. Em vez disso, uma boa ideia é a de acostumar o gato a receber uma brincadeira ou uma escovagem do pêlo como recompensa, em vez de uma guloseima. Esta solução irá ajudar a prevenir a obesidade enquanto irá fortalecer a relação entre a pessoa e o pequeno felino.

  • Dividir a ração de comida em várias refeições por dia.

Não existem provas claras sobre a relação de deixar sempre comida disponível ao animal e o desenvolvimento da obesidade. Porém, sabe-se bem que um gato que se alimente duas ou mais vezes por dia se sente mais saciado. Uma boa medida para implementar no lar será dosear a quantidade de alimento indicado para o tamanho e o peso do gato, e dividi-la em várias refeições/doses. Desta forma, o dono também poderá observar se existem mudanças no padrão de alimentação do gato caso surja algum problema de saúde. Por último, no caso de que convivam dois ou mais gatos no mesmo lar, dosear as rações de comida e administrá-las separadamente irá evitar que um deles coma mais do que o necessário.  

New call-to-action