Tempo de leitura: 2 minutos

 

O vírus da raiva provoca a morte de todos os indivíduos infetados. Não existe um tratamento, mas é possível prevenir a sua aparição através de vacinas para cachorro.

 

O perigo da raiva:

O vírus da raiva, ainda que tenha sido erradicado em muitas zonas do globo, continua a estar presente em todo o mundo. Não existe um tratamento e a sua incidência é mortal na totalidade dos casos, pelo que a prevenção através da vacina para cães é essencial.

 

New Call-to-action

 

A raiva é uma doença que se transmite através da saliva, quando entra em contacto com as fibras nervosas por meio de uma mordedura. O período de incubação depende do ponto de entrada do vírus. Quanto mais afastado estiver do sistema nervoso central mais longo será esse período, podendo chegar a atingir um ano.

 

Vacina contra a raiva:

As vacinas contra a raiva para cães fazem com que o animal crie uma resposta imunológica contra o vírus. O cão encontra-se protegido 14 dias após a injeção da vacina. Se for corretamente administrada, a sua eficácia é de 100%.

A primeira administração da vacina tem a duração de 1 ano. Mais tarde, a duração aumenta para 2-3 anos.

A vacinação de cachorros com menos de 12 semanas de idade não é eficaz, já que os anticorpos maternos neutralizam o efeito.

 

Vacina contra a raiva:

As vacinas contra a raiva para cães fazem com que o animal crie uma resposta imunológica contra o vírus. O cão encontra-se protegido 14 dias após a injeção da vacina. Se for corretamente administrada, a sua eficácia é de 100%.

A primeira administração da vacina tem a duração de 1 ano. Mais tarde, a duração aumenta para 2-3 anos.

A vacinação de cachorros com menos de 12 semanas de idade não é eficaz, já que os anticorpos maternos neutralizam o efeito.

 

Situação da raiva em Espanha: Um vírus do passado?

Em Espanha, a obrigatoriedade da vacina é estabelecida pelas diferentes Comunidades Autónomas de acordo com os seus diferentes planos de saúde.  As vacinas contra a raiva para cães são obrigatórias em todas as Comunidades, excepto na Galiza, Catalunha e País Basco. Também são as próprias Comunidades Autónomas que estabelecem o intervalo de vacinação, que pode variar entre 1 e 2 anos.

Desde 1978 que não se registavam casos de raiva em Espanha, com exceção dos territórios de Ceuta e Melilla, devido à sua proximidade com Marrocos,onde a raiva continua a estar presente. No entanto, em junho de 2014 registou-se o caso de um cão em Toledo, proveniente de Marrocos.

Hoje em dia existe bastante controvérsia em relação à vacina contra a raiva. O argumento principal dos seus defensores é o de que apesar de em Espanha o vírus da raiva estar erradicado, o país continua a ser um ponto de passagem para habitantes de países nos quais a raiva não está erradicada, tais como França e Marrocos.

 

Viagens e vacinas para cães:

Ao viajar com os nossos animais de estimação para algum país onde a raiva não está erradicada, será importante assegurarmos-nos de que os animais se encontram corretamente protegidos contra a doença antes de iniciarmos a viagem. Isto pressupõe não só que o animal esteja vacinado mas também a verificação, através de uma análise ao sangue, de que possui bons níveis de imunização contra o vírus.

Para poder atravessar as fronteiras com tranquilidade, consulte o seu veterinário um mês antes de efetuar a viagem. Como já referimos anteriormente, a vacina contra a raiva é muito eficaz se for administrada por mãos experientes.

 

New Call-to-action