O bem-estar dos gatos é também a sua saúde


O bem-estar dos gatos é também a sua saúde

Qual é o ideal de bem-estar para um gato? É simples, tem de estar bem nutrido, não sentir nenhum mal-estar causado por um habitat inadequado, sentir-se livre para expressar os instintos naturais da sua espécie e não sentir qualquer tipo de medo ou stress. O seu animal de estimação talvez acrescentasse que também quer a sua dose diária de mimos e carinhos e, claro, uma sessão de brincadeiras para praticar as suas habilidades! Acredite, ele gosta de ser o centro da sua atenção, embora também exija privacidade procurando ter os seus momentos de solidão.

O seu gato precisa de um espaço próprio, um lugar para o qual possa ir quando quiser ficar sozinho. Uma manta ou um colchão numa parte sossegada da casa, limpa e bem arejada, serve-lhe perfeitamente. Pouco a pouco, procurará os seus próprios lugares e esconderijos para os quais irá quando quiser fugir do “ruído mundano”.

O seu gato também gostará de ter um local onde poderá encontrar a caixa de areia. É importante que a caixa de areia não esteja no mesmo espaço que as tigelas de comida e água. Os gatos costumam ser exigentes neste aspeto.

Nunca pode faltar comida na tigela. Um gato pode fazer até 16 pequenas refeições entre o dia e a noite. Isto não é nenhum problema, visto que, normalmente, os gatos regulam bastante bem o seu próprio consumo de comida. No entanto, para que fique mais descansado quanto a esta questão, basta seguir os conselhos do seu veterinário e também as indicações do fabricante da ração que estarão sempre descritas na embalagem. Também é fundamental que tenha água fresca. Lembre-se de que a água é um nutriente essencial para a vida e que o organismo do seu animal também é, tal como o seu, composto sobretudo por água. Certifique-se de que não há pelos a flutuar na tigela de água. Muitas vezes incomoda-os e não a beberão até que a troque.

Para evitar o excesso de peso, tendo em conta que um gato doméstico faz pouco exercício, é aconselhável que brinque com o seu animal todos os dias por pelo menos 15 minutos. O seu gato adorará e, assim, também poderá divertir-se com as suas piruetas e saltos. Estas brincadeiras fortalecerão os laços que vos unem a cada dia. Isto significa que saberá provocá-lo com muita perícia para que entre na brincadeira.

A frequência com que deverá escovar o suave pelo do seu gato dependerá do tamanho que tenha, mas é necessário que remova o pelo morto com regularidade. A melhor maneira de fazê-lo é, sem dúvida, escovando-o. Os nós e o desleixo em geral no cuidado do pelo podem ser a causa de futuros problemas de saúde. Para que um gato se deixe escovar, tem de habituá-lo desde pequeno. Se utilizar uma cardadeira, escova sempre na direção do pelo e mantenha-a ligeiramente levantada até ao final do movimento para que os dentes não toquem na pele do animal. Comece pela cabeça, passe para o pescoço, a coluna, depois as patas e termine na cauda. Se o seu gato tiver pelo comprido, utilize um pente depois de o escovar. Será útil para apanhar os nós pequenos.

Ao limpar-se, principalmente na época de alteração fisiológica, o animal pode ingerir uma grande quantidade de pelo. Consequentemente, formam-se bolas de pelo no estômago que são bastante desagradáveis e muito comuns nos gatos de pelo mais comprido. Precisa de expulsá-las. Pode dar-lhe xarope de malte, pois o alto teor de fibra contribuirá para a eliminação das bolas de pelo. Também existe um tipo de erva disponível em floristas que poderá dar ao seu gato quando este precisar de purgar. O seu instinto fará com que reconheça todos os seus benefícios.

Para que possa manter as suas unhas fortes e satisfazer a necessidade de marcar o território, precisará de um arranhador ou algum objeto (vertical ou horizontal) que sirva para arranhar. Dê-lhe uma recompensa quando ele o utilizar, pois assim saberá que está a ter um comportamento que lhe agrada. A sua opinião nunca lhe será indiferente, embora, por vezes, dê essa impressão. ¡Atenção aos dentes! Em adulto, pode chegar a ter até 30 dentes. O desleixo no cuidado dos dentes pode levar ao aparecimento de tártaro na base dos dentes e à inflamação das gengivas. Além disso, também poderá sofrer de cáries. Como pode ver, a higiene oral do seu gato não é muito diferente da sua. A única diferença é que o gato precisa que seja o dono a passar a pasta e a escovar os dentes.

Reserve algum tempo diário para cuidar do seu animal. Acredita-se muito na ideia de que um gato não precisa de atenção, que faz o que quer, que cuida de si próprio praticamente sozinho… Nada podia esta mais longe da verdade. Existem gatos mais ou menos afetuosos, mas o gato doméstico aprendeu a partilhar o território e a valorizar as vantagens da vida em sociedade. E, além disso, estima, valoriza e procura afeto e carinhos. Até existem casos de gatos que não suportam estar demasiado tempo sozinhos. Certifique-se de que não tem em casa coisas perigosas para a saúde e bem-estar do seu gato, como algum produto ou planta que o possa intoxicar em caso de ingestão ou contacto. Por exemplo, a poinsétia ou a hortênsia são plantas que, se ingeridas, podem causar-lhe irritação gastrointestinal, insuficiência cardíaca, problemas respiratórios e até vómitos, convulsões ou hipersalivação. Consulte o seu veterinário para saber que plantas pode ter em casa que não representem um risco para o seu animal de estimação.

Se tiver em conta todos estes aspetos, pode ter a certeza de que o seu gato vive num meio seguro no qual o seu bem-estar é importante. Não foi em vão que se preocupou com todos os detalhes para que desfrutasse da sua casa por completo. ¡Parabéns!