Um gato no cio


Um gato no cio

O cio é considerado o período do ciclo sexual em que a gata pode aceitar o macho. O macho estará sempre disposto a acasalar, embora também tenha o seu período de cio. Tal como ocorre a todas as fêmeas mamíferas, as gatas têm o seu primeiro cio quando atingem a puberdade. A partir desse momento, a fêmea já é fértil. No caso das gatas, depende de cada animal, se bem que, no geral, o primeiro cio costume aparecer a partir dos 8 aos 10 meses.

Existem vários fatores que determinam o início da puberdade nos gatos. Por exemplo, a fêmea deve ter um peso mínimo para poder entrar no cio. Por outro lado, a raça também condiciona o início do cio: as fêmeas com pelo curto, tipo siamês, conseguem atingir a puberdade antes das que têm pelo comprido, tipo persa. Existem outros fatores externos que também condicionam o início do cio, como a presença de machos ao seu redor ou as horas de luz que tenha por dia.

Os gatos são, por natureza, animais solitários e, por isso, têm de se encontrar para poder acasalar e reproduzir-se. Por esse motivo, tanto o macho como a fêmea têm de emitir sinais claros e evidentes da sua predisposição para o encontro sexual, para que sejam detetados à distância pelos indivíduos do sexo oposto. Esta é a razão pela qual os sintomas do cio são claros e evidentes. Tanto o macho como a fêmea apresentam uma mudança de atitude diária que afetará o seu comportamento. Ambos emitem um miar específico forte e persistente. A gata mia muito, esfrega-se por todo o lado, rebola e fica tensa quando alguém lhe toca, adquirindo uma posição semelhante à do momento de cópula. Esta disposição denomina-se lordose: a coluna curvada e a cauda desviada lateralmente. Além disso, ficam especialmente meigas e fazem tudo para atrair a atenção dos donos.

O cio não é igual para as fêmeas e para os machos. No caso da fêmea, tal como com a mudança do pelo, o cio aparece com maior intensidade na primavera, época em que há mais horas de luz. Uma gata pode vir a ter vários cios com um intervalo de 2 a 3 semanas. No entanto, se viverem no interior, numa casa com aquecimento e luz artificial, também podem entrar no cio no inverno.

As fases do ciclo fértil da gata dividem-se em quatro fases. O proestro dura apenas 1 ou 2 dias e observa-se uma mudança de comportamento. A gata irá querer mimos, urinar frequentemente, emitir sons, esfregar a cabeça e o pescoço em objetos, rodar à volta de si própria, arquear a coluna levantando a pélvis. O apetite da gata aumentará sensivelmente. Nesta fase, não deixará que o macho a cubra. A fase seguinte é o estro, na qual todos os aspetos anteriores se acentuam e já é o período de recetividade sexual. Esta fase é considerada o cio. A duração desta fase é de 4 a 6 dias se houver acasalamento e de 10 a 14 dias se não houver cópula. Durante o estro, o seu miar, utilizado para atrair o possível macho, será agudo e estridente. A fase seguinte é o diestro que, sendo posterior à ovulação, é uma fase de inatividade sexual. Esta fase dura 3 a 16 dias se não houver gestação e 2 meses se a gata tiver sido fecundada por um gato e estiver gestante. A última fase do cio da gata é o anestro, uma fase de repouso em que os ovários descansam e não fabricam hormonas.

Os machos atravessam o seu cio específico. Quando atingem a plena maturidade, são capazes de acasalar sempre que a gata o permita. O momento culminante dos gatos ocorre de setembro a março. Durante a época de cio, os machos estarão mais agressivos, de maneira que, se saírem para passear, é provável que voltem com arranhões. O macho marcará o território com pequenas quantidades de urina, cheia de feromonas, para atrair sexualmente a fêmea. Isto é conhecido como marcação sexual e assumirá a forma de borrifos em móveis, paredes e todo o tipo de superfícies verticais, pelo que o odor pode tornar-se desagradável e difícil de remover. Acabará, também, por rebolar constantemente pela casa.

Sem dúvida de que o cio é um momento complicado para os gatos e também para as pessoas que partilham a sua vida com eles. Quanto ao cio, pode informar-se com o veterinário do seu gato sobre a possibilidade de esterilizá-lo. Entretanto, a paciência será o melhor remédio para não se irritar com as atitudes do animal.